Brasil

São Francisco do Conde tem maior PIB per capita no país

Cidade baiana é beneficiada pela presença da segunda maior refinaria do Brasil

A cidade de Quissamã , quarta no ranking, também se benefícia da presença da indústria de petróleo (Rômulo Campos/Wikimedia Commons)

A cidade de Quissamã , quarta no ranking, também se benefícia da presença da indústria de petróleo (Rômulo Campos/Wikimedia Commons)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de dezembro de 2010 às 09h41.

Rio de Janeiro - O município baiano de São Francisco do Conde teve em 2008 o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita no país pelo quarto ano consecutivo. Na cidade, a geração de riqueza em relação ao total de sua população foi de R$ 288.370,81. O PIB per capita do país naquele ano foi de R$ 15.989,75.

O dado foi divulgado hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e faz parte da pesquisa PIB dos Municípios 2008.

De acordo com o levantamento, o índice elevado observado no município baiano não reflete necessariamente a apropriação da renda pela população residente, mas pode ser explicado pela baixa densidade demográfica da cidade, onde vivem pouco mais de 31 mil pessoas, somada ao fato de o município abrigar a segunda maior refinaria em capacidade instalada de refino do país. Essa mesma realidade, segundo o IBGE, é verificada nos outros municípios que compõem o ranking dos dez maiores PIB per capita no país.

Em segundo lugar, aparece o município fluminense de Porto Real (R$ 203.561,86), onde se localiza uma indústria automobilística; seguido por Triunfo (R$ 181.332,70), na região metropolitana de Porto Alegre (RS), que é sede de importante polo petroquímico; Quissamã (R$ 177.851,28), também no Rio de Janeiro, cuja economia é baseada na extração de petróleo e gás; e a mineira Confins (R$ 177.303,24) que ganha posição desde 2005, com a transferência da maior parte dos voos do aeroporto em Belo Horizonte para o terminal localizado no município.

No outro extremo, aparece com menor PIB per capita do país (R$ 1.721,23), a cidade de Jacareacanga (PA). Segundo o documento do IBGE, 60% da economia municipal é dependente da administração pública. Além disso, a principal fonte orçamentária da cidade era proveniente das transferências governamentais. A esse cenário soma-se o fato de que 60% do seu território são destinados a áreas de preservação ambiental e terras indígenas.

O levantamento destaca que o estado do Pará abriga mais 14 municípios que estão na lista dos 56 de menor PIB per capita, o que representa 1% do total de municípios do país. Todos eles têm o indicador abaixo de R$ 2.442,10. Os demais municípios, em sua totalidade nordestinos, estão localizados no Maranhão (15); no Piauí (15); Alagoas (dois) e Bahia (nove).

Entre as capitais, Vitória (ES) teve o maior PIB per capita (R$ 71.407,32), seguida por Brasília (DF), com R$ 45.977,59; São Paulo (SP), com R$ 32.493,96; Porto Alegre (RS), com R$ 25.712,62; e Rio de Janeiro (RJ), com R$ 25.121,92. Por outro lado, Teresina (PI), com PIB per capita de R$ 9.374,32; e Maceió (AL), com R$ 9.894,02, ocuparam as últimas posições entre as capitais.

Acompanhe tudo sobre:BahiaCidadesEstatísticasIBGEIndicadores econômicosPIB

Mais de Brasil

Incidentes cibernéticos em sistemas do governo dobram no primeiro semestre de 2024

Luciano Hang é condenado à prisão pela Justiça do RS por ataques a arquiteto

Com atraso, abrangência menor e sem Lula, governo lança programa Voa Brasil para aposentados de INSS

Mais na Exame