Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

PF prende empresário suspeito de transportar cocaína das Farc

Investigado desde 2015, o empresário Ronald Roland foi preso em São Paulo acusado de integrar uma quadrilha que fazia transporte internacional de cocaína

Modo escuro

Continua após a publicidade
PF: Roland é acusado de organizar o transporte de cocaína das Farc para os cartéis mexicanos (Tomaz Silva/Agência Brasil)

PF: Roland é acusado de organizar o transporte de cocaína das Farc para os cartéis mexicanos (Tomaz Silva/Agência Brasil)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 10 de julho de 2019 às, 13h49.

São Paulo - A Polícia Federal (PF) prendeu na tarde de terça-feira, 9, o empresário Ronald Roland, acusado de integrar uma quadrilha que realizava transporte internacional de cocaína. Ele era investigado desde 2015 pela PF e é apontado como um dos principais articuladores de um esquema que levava drogas da Venezuela, Colômbia e Bolívia para os mercados do Brasil, Estados Unidos e Europa.

Há quatro anos, Roland foi acusado de organizar o transporte de cocaína das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para os cartéis mexicanos de Sinaloa e Los Zetas. Ele estava foragido ao menos desde fevereiro, quando teve a prisão decretada pela Operação Flak, da PF no Tocantins. A Justiça chegou a pedir a inclusão do seu nome no sistema de difusão vermelha da Interpol.

Roland foi preso em São Paulo durante o feriado da Revolução de 32. Ele teria sido encontrado após um descuido de sua mulher, que colocou em suas redes sociais o nome do restaurante Uru Mar y Parrilla, na zona leste da capital, onde os dois almoçavam.

De acordo com a PF de Tocantins, ele deve prestar depoimento nesta quarta-feira, 10, e provavelmente permanecerá detido em São Paulo, onde já tem uma condenação.

A Operação Flak, a última a mirar Roland, teve início há dois anos. O esquema chegou a recrutar até pilotos comerciais de "grande experiência". Segundo a PF, entre meados de 2017 e 2018 a quadrilha investigada realizou no mínimo 23 voos e transportou, em média, 400 quilos de cocaína em cada viagem, o que é equivalente a mais de nove toneladas.

Só essa operação rendeu a Roland acusações por tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico, financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

Um dos principais acusados da Operação Flak continua foragido. A PF de Tocantins preferiu não divulgar o nome deste suspeito.

Farc

Em 2015, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que Roland e o empresário Manoel Meleiro Gonsalez eram responsáveis pela entrega de toneladas de drogas aos cartéis mexicanos de Sinaloa e Los Zetas. Na época, o grupo comprava códigos de identificação do controle aéreo venezuelano. A droga era adquirida de representantes das Farc no país. Cada voo pagava até US$ 400 mil de propina a militares da Venezuela, como mostravam mensagens interceptadas pela PF nos celulares dos suspeitos.

Últimas Notícias

Ver mais
Afundamento de mina da Braskem em Maceió mantém ritmo; Defesa Civil permanece em alerta

Brasil

Afundamento de mina da Braskem em Maceió mantém ritmo; Defesa Civil permanece em alerta

Há 4 horas

Maceió: velocidade do afundamento do solo dobra em um dia e chega a 0,54 cm por hora

Brasil

Maceió: velocidade do afundamento do solo dobra em um dia e chega a 0,54 cm por hora

Há 18 horas

Vídeo: Deputada Tabata Amaral sofre tentativa de assalto no centro de SP

Brasil

Vídeo: Deputada Tabata Amaral sofre tentativa de assalto no centro de SP

Há um dia

Polícia Civil indicia dois homens por ataque ao Bar Brahma no centro de SP

Brasil

Polícia Civil indicia dois homens por ataque ao Bar Brahma no centro de SP

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Lead Energy quer reduzir R$ 1 bi na conta de luz dos brasileiros até 2027

Lead Energy quer reduzir R$ 1 bi na conta de luz dos brasileiros até 2027

Ceará deve se tornar um dos maiores produtores do combustível do futuro

Ceará deve se tornar um dos maiores produtores do combustível do futuro

“O número de ciberataques tem crescido 20% ao ano”, diz a Huawei

“O número de ciberataques tem crescido 20% ao ano”, diz a Huawei

“A geração de energia caminha lado a lado com o desenvolvimento econômico”, diz Paulo Câmara

“A geração de energia caminha lado a lado com o desenvolvimento econômico”, diz Paulo Câmara

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais