Ministro quer maior integração entre sindicatos do Mercosul

Nas negociações de acordos coletivos são discutidas questões como reajustes salariais, mas também condições de trabalho, carga horária, entre outros pontos

Brasília - O ministro do Trabalho, Manoel Dias, defendeu nesta sexta-feira, 26, que os sindicatos dos cinco países do Mercosul (Brasil, Argentina, Venezuela, Paraguai e Uruguai) fechem acordos coletivos regionais.

Nas negociações de acordos coletivos são discutidas questões como reajustes salariais, mas também condições de trabalho, carga horária, entre outros pontos. "A ideia é que a negociação não se faça apenas dentro do país, como é hoje, mas sim regionalmente", disse Dias, ao término da reunião entre ministros do Trabalho do Mercosul, realizada em Brasília.

Questionado sobre como este plano poderia funcionar, o ministro do Trabalho deu como exemplo a categoria dos metalúrgicos. "Um acordo fechado por sindicato de metalúrgicos com as empresas no Brasil pode ter a participação de sindicatos dos outros países, e vice-versa", disse Dias. Segundo o ministro, a ideia é fortalecer os sindicatos. "Queremos ampliar o poder dos sindicatos e seu poder de negociação em nível regional", disse.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também