Brasil

Milton Leite sinaliza que União pode apoiar outras candidaturas e critica coalizão de Nunes

Presidente da Câmara Municipal e principal liderança do partido em São Paulo deixou em aberta a possibilidade de fazer aliança com Marçal, Tabata, Datena e até Boulos

 (Rede Câmara/Divulgação)

(Rede Câmara/Divulgação)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 5 de julho de 2024 às 11h14.

Última atualização em 5 de julho de 2024 às 11h26.

O presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Milton Leite (União), afirmou que seu partido avalia desembarcar do governo Ricardo Nunes (MDB) e apoiar outra pré-candidatura.

Ele disse ao O Globo que “todas as opções estão na mesa”, que poderia vir apoiar Pablo Marçal (PRTB), Tabata Amaral (PSB) e até Guilherme Boulos (PSOL) ou José Luiz Datena (PSDB), a quem se referiu como “uma boa candidatura”. Leite não especificou o motivo pelo qual se desentendeu com Nunes, mas disse que o prefeito “sabe das dores de cabeça dele”.

"Um governo de coalizão não pode ser governo de um só. Quando as outras opiniões não são respeitadas, não tem governo de coalizão", afirmou o vereador. "Reafirmo meu compromisso com o Ricardo Nunes, o União segue no governo Ricardo Nunes, mas o diálogo está aberto e todas as opções estão na mesa".

Nunes e Leite são aliados desde o início do mandato, mas houve um atrito entre os dois no mês passado referente à escolha do vice. Leite se colocava como opção para a posição e sugeriu outros nomes de seu partido para o cargo, mas ao fim foi o PL que indicou o coronel Mello Araújo como vice. O atrito parecia solucionado com um acordo em que o PL concordou em apoiar o União Brasil na presidência da Câmara Municipal em 2025. Agora, Leite cobra por mais espaço do União na gestão Nunes.

A convenção do União Brasil que vai definir suas candidaturas para prefeito e vereadores ocorrerá em 20 de julho. O deputado federal Kim Kataguiri (União-SP) ainda se coloca como pré-candidato à prefeitura e deve pleitear a posição dentro do partido. Além do União, Nunes espera contar com 11 partidos em sua base, todos da direita ou centro-direita.

Acompanhe tudo sobre:VereadoresEstado de São PauloRicardo NunesEleições 2024

Mais de Brasil

Em SC, chuvas elevam rio que corta Blumenau em 6 metros e município entra em estado de alerta

Governo federal vai transferir recursos para reforma de escolas no RS

Após receber novas doses, SP vai retomar a vacinação contra dengue neste sábado

Boulos quer câmeras corporais em agentes da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo

Mais na Exame