Marinho: FGTS digital cria rubrica para trabalhador tomar consignado sem anuência do empregador

Segundo o ministro, a ferramenta do FGTS Digital irá administrar a relação com os bancos, trabalhadores e empregadores

Entenda como vai funcionar (Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação)

Entenda como vai funcionar (Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 27 de fevereiro de 2024 às 18h45.

O ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, afirmou nesta terça-feira, 27, que a nova forma de recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS Digital, que será implementado na próxima sexta-feira, 1º, criará uma rubrica para que o trabalhador tome empréstimo consignado diretamente com os bancos, sem anuência do empregador, utilizando como garantia a sua folha de pagamento.

"Hoje o consignado poderia estar existindo se as empresas tivessem feito convênios com os bancos. As empresas não fizeram, então, nós, a partir da ferramenta do E-Social e do FGTS Digital implantado, criamos uma rubrica para possibilitar que o trabalhador faça, possa tomar esse empréstimo, sem intermediação do empregador. Ele não vai mais precisar consultar o empregador" disse o chefe do MTE.

Segundo o ministro, a ferramenta do FGTS Digital irá administrar a relação com os bancos, trabalhadores e empregadores.

"Quando a empresa receber lá, olha, você tem que descontar 'X' reais do fundo de garantia, ela terá uma rubrica de quanto ela terá que descontar da instituição financeira 'X' para o empréstimo daquele trabalhador, da sua folha de pagamento", explicou.

Acompanhe tudo sobre:Luiz MarinhoFGTS

Mais de Brasil

Ruralistas veem chance de avanço na pauta anti-invasão com imbróglio entre Lira e governo Lula

Calor fora de época atingirá SP e mais regiões do Brasil; veja previsão do tempo

Veja o passo a passo para tirar sua 2 via de conta da Enel

Lula cobra articulação política de Alckmin e Haddad

Mais na Exame