Brasil

Caso Marielle: Moraes nega pedido de liberdade e mantém irmãos Brazão e Rivaldo na prisão

Todos foram preso no dia 24 de março, suspeitos de serem os mandantes intelectuais do assassinato da vereadora do PSOL em 14 março de 2018

Domingos Brazão, Chiquinho Brazão e Rivaldo Barbosa foram presos em 24 de março pela Polícia Federal, suspeitos de serem os mandantes intelectuais do assassinato de Marielle Franco (Alerj, ABr e Câmara Deputados/Agência Brasil)

Domingos Brazão, Chiquinho Brazão e Rivaldo Barbosa foram presos em 24 de março pela Polícia Federal, suspeitos de serem os mandantes intelectuais do assassinato de Marielle Franco (Alerj, ABr e Câmara Deputados/Agência Brasil)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 4 de julho de 2024 às 10h16.

Última atualização em 4 de julho de 2024 às 10h24.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou os pedidos de liberdade e manteve as prisões preventivas do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), seu irmão, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Domingos Brazão, e pelo ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa. Todos eles estão presos acusados de participação no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2013.

O ministro do STF também negou o pedido de Domingos Brazão de transferência para uma prisão especial ou sala de Estado-Maior (dependências militares). A decisão é desta quarta-feira.

Caso Marielle: por unanimidade, STF aceita denúncia contra acusados de mandar matar vereadora
Acompanhe tudo sobre:Marielle Franco

Mais de Brasil

Novo oficializa candidatura de Marina Helena à prefeitura de SP com coronel da PM como vice

Estudo da Nasa aponta que Brasil pode ficar 'inabitável' em 50 anos; entenda

Temperatura acima de 30°C para 13 capitais e alerta de chuva para 4 estados; veja previsão

Discreta, Lu Alckmin descarta ser vice de Tabata: 'Nunca serei candidata'

Mais na Exame