"Ele não vai mudar", diz líder do governo após Bolsonaro atacar repórter

Neste domingo, Bolsonaro atacou um repórter do jornal O Globo, que o questionou sobre depósitos que Fabrício Queiroz fez à primeira-dama Michele
Jair Bolsonaro: fala do presidente foi criticado por partidos e pelo presidente da Câmara (Reuters/Adriano Machado/File Photo)
Jair Bolsonaro: fala do presidente foi criticado por partidos e pelo presidente da Câmara (Reuters/Adriano Machado/File Photo)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 24/08/2020 08:57 | Última atualização em 24/08/2020 08:57Tempo de Leitura: 1 min de leitura

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou que a fala do presidente Jair Bolsonaro de querer agredir um repórter não deverá influenciar o relacionamento do presidente com os parlamentares da Câmara. "Conhecemos Bolsonaro há 28 anos ele sempre foi assim e não vai mudar", disse Barros em entrevista à rádio Jovem Pan.

Neste domingo, dia 23, Bolsonaro disse ter "vontade de encher de porrada" a boca de um repórter do jornal O Globo, em frente à Catedral Metropolitana de Brasília, após o jornalista questioná-lo sobre os repasses de R$ 89 mil do ex-assessor Fabrício Queiroz para sua esposa, Michelle Bolsonaro.

Segundo Barros, a fala de Bolsonaro não foi uma ameaça. "Ele falou que 'gostaria de' e não 'vou fazer'. É um pensamento que ele externou que certamente não precisaria ter externado", defendeu o parlamentar.

De acordo com Barros, "agora todas as entidades se manifestam, o que é uma bobagem. Uma tentativa de fazer o mosquito virar um elefante. O Brasil não precisa disso, precisa de andar e prosperar".