Coronavírus: São Paulo vai ampliar quarentena para além de 10 de maio

Secretário municipal de Saúde diz que a capital paulista avalia, ainda, ampliar restrições de circulação para garantir que população não saia de casa

O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou nesta quinta-feira, 30, que não há a possibilidade de a capital paulista relaxar medidas de isolamento por conta da pandemia do novo coronavírus a partir de 10 de maio.

"Já há uma decisão tomada: nós não temos como relaxar as medidas de isolamento partir do dia 10 de maio. Na capital é absolutamente impossível. Ao contrário, estamos iniciando uma discussão na prefeitura pra que a gente possa fortalecer algumas dessas medidas pra que a gente consiga fazer com que o isolamento na cidade possa crescer desse patamar de 48%", disse em entrevista ao Bom dia São Paulo.

Segundo ele, a prefeitura inclusive avalia fortalecer as restrições por meio de bloqueio de avenidas: "Você faz um processo de bloqueio e você reduz muito [o tráfego] fazendo com que as pessoas se desestimulem a sair de casa, sobretudo nas regiões onde a pressão no sistema de saúde tem aumentado continuamente".

Para a capital, o cenário da doença é preocupante: "Do dia 26 de fevereiro, quando teve o primeiro caso aqui na cidade, até o dia 23 abril tivemos 45.518 notificações, média de 812 por dias. Em apenas 3 dias, dia 24,25 e 26 isso saltou para 56 mil notificações, ou seja, nós saímos de 812 para pouco mais de 3.400 notificações por dia", disse Aparecido.

Estado de São Paulo

Nesta quarta-feira, 29, o governador voltou a criticar os índices de isolamento que se mantiveram constantes ao longo da semana. O Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi) indicou que 48% da população aderiu às orientações de quarentena.

Segundo Doria, “não há a menor condição de flexibilização de isolamento com 48% de taxa de isolamento e evidentemente com os riscos de colapso no atendimento público nos hospitais”. “Nada será feito, em termos de flexibilização, sem expressa orientação da área da Saúde”, disse.

São Paulo confirmou a milésima morte por Covid-19 no dia 19 de abril, 32 dias após o primeiro caso. Desde então, o número de infectados mais que dobrou no estado, com apenas oito dias passados.

O coordenador do Centro de Contingência da doença em São Paulo, David Uip, disse que os números apresentados não surpreendem o governo paulista. “O cenário foi desenhado em fevereiro, o que previmos está se confirmando”, disse.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.