Brasil
Acompanhe:

Cidade de SP decide no dia 10 de novembro se libera o uso da máscara

Em entrevista à EXAME, o prefeito Ricardo Nunes (MBD) disse que aguarda um estudo realizado pela Secretaria Municipal de Saúde para tomar a decisão

 (Eduardo Frazão/Exame)

(Eduardo Frazão/Exame)

G
Gilson Garrett Jr

29 de outubro de 2021, 18h42

A prefeitura de São Paulo vai decidir no dia 10 de novembro se libera a obrigatoriedade do uso de máscara na cidade. Em entrevista à EXAME, o prefeito Ricardo Nunes (MBD) disse que aguarda um estudo realizado pela Secretaria Municipal de Saúde para tomar a decisão.

“Os técnicos me deram o prazo de 10 de novembro. Daqui até lá vamos monitorar. O estudo é feito com 15.622 pessoas, é um volume bastante grande para nos dar assertividade na decisão. Pode ser que no dia 10 eles falem que a máscara continua ou não. O que eles me trouxerem, eu vou decidir, independentemente de popularidade. Não vou tomar atitude para agradar, mas para preservar as pessoas”, afirmou Nunes.

Há duas semanas, um primeiro estudo foi feito pelos técnicos da Saúde do município recomendou a manutenção do uso obrigatório. Na ocasião, Nunes disse que a expectativa era de que no meio de novembro a cidade atingisse 100% de pessoas totalmente imunizadas contra a covid-19.

No último boletim divulgado pela prefeitura, nesta sexta-feira, 29, a cidade tem 100% da população imunizada contra a covid-19 com pelo menos a primeira dose, e 93,6% totalmente vacinada, sendo duas doses ou dose única.

Desde a quinta-feira, 28, a cidade publicou um decreto em que revogou as recomendações de restrição de público, de distanciamento e de horário de abertura para estabelecimentos públicos e privados na capital paulista. Apesar disso, o comprovante de vacinação é exigido para entrar em espaços públicos, como a prefeitura, e em eventos acima de 500 pessoas.

A segunda maior cidade do país, o Rio de Janeiro, liberou o uso obrigatório de máscara desde a última quinta-feira, 28. A medida é válida apenas para áreas abertas.