• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,86 3.11
  • ABCB4 R$ 16,76 0.42
  • ABEV3 R$ 14,09 0.50
  • AERI3 R$ 3,84 5.49
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,90 0.52
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,19 1.46
  • AMAR3 R$ 2,49 3.32
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,08 2.60
  • AMZO34 R$ 66,16 -0.72
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,50 -2.29
  • ASAI3 R$ 15,86 -0.63
  • AZUL4 R$ 21,90 3.79
  • B3SA3 R$ 12,12 0.66
  • BBAS3 R$ 38,53 4.14
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,86 3.11
  • ABCB4 R$ 16,76 0.42
  • ABEV3 R$ 14,09 0.50
  • AERI3 R$ 3,84 5.49
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,90 0.52
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,19 1.46
  • AMAR3 R$ 2,49 3.32
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,08 2.60
  • AMZO34 R$ 66,16 -0.72
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,50 -2.29
  • ASAI3 R$ 15,86 -0.63
  • AZUL4 R$ 21,90 3.79
  • B3SA3 R$ 12,12 0.66
  • BBAS3 R$ 38,53 4.14
Abra sua conta no BTG

Brasil tem recorde de 1.262 mortes por covid-19 em 24h; total passa 31 mil

O país é o que mais confirmou mortes e casos em todo o mundo nas últimas 24 horas. Segundo o Ministério da Saúde, são 555.383 infectados
Aumento: São Paulo registrou 327 mortes em um dia, o maior número desde o começo da pandemia. (Getty Images/Jonne Roriz/Bloomberg)
Aumento: São Paulo registrou 327 mortes em um dia, o maior número desde o começo da pandemia. (Getty Images/Jonne Roriz/Bloomberg)
Por Gilson Garrett Jr.Publicado em 02/06/2020 19:39 | Última atualização em 03/06/2020 16:47Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Brasil superou a marca das 31 mil mortes causadas pela covid-19 nesta terça-feira, 2. O país tem 31.199 vítimas e um total de 555.383 casos confirmados de coronavírus, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Em um dia foram mais 28.936 novos testes positivos e 1.262 óbitos, um novo recorde desde o início da pandemia.

Com estes números, o Brasil é o país que mais confirmou mortes e casos em todo o mundo nas últimas 24 horas. Em segundo lugar está os Estados Unidos, que teve 14.790 novas infecções e 761 mortes. Os dados são atualizados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês).

O país está há 18 dias sem ministro da Saúde. O secretário-executivo Eduardo Pazuello assumiu a função interinamente desde a saída de Nelson Teich. O antigo ministro ficou apenas 28 dias no cargo, depois de substituir Luiz Henrique Mandetta.

Desde o dia 25 de maio, quando Wanderson Oliveira deixou o Ministério da Saúde, o cargo secretário de Vigilância em Saúde também está vago. Este é o departamento responsável por estabelecer diretrizes, criar ações de prevenção e controle do coronavírus.

"Isso não faz a máquina pública parar de funcionar. Ela continua girando. Não há o comprometimento da estrutura. Sobre os secretários, eles estão em fase de entrevista para a definição e futura nomeação. Tão logo sejam preenchidos os requisitos, estes secretários estarão sendo nomeados", disse o secretário-executivo substituto do Ministério da Saúde, Élcio Franco, em entrevista coletiva nesta terça-feira.

SP registra recorde de mortes

O estado de São Paulo confirmou nesta terça-feira, 02, mais 327 mortes por coronavírus em 24 horas, um recorde desde o início da pandemia. De acordo com o Ministério da Saúde, o total de vítimas chegou perto de 8 mil, com 7.994. Há ainda 118.295 pessoas infectadas, um aumento de 6.999 casos em um dia. No total, 22.265 pessoas estão recuperadas da covid-19.

Desde a segunda-feira, 1º de junho, começou uma nova etapa do Plano São Paulo que permite a reabertura de parte da economia. O documento divide o estado em 17 regiões e estabelece cinco fases de abertura, que vão desde o isolamento total (fase 1) até a volta completa das atividades (fase 5).