Brasil

Boulos é condenado a pagar multa de R$ 53 mil por distorção de pesquisa eleitoral

Na sua decisão, o juiz afirma que Boulos misturou diversos cenários pesquisados pelo instituto para criar uma "pesquisa estimulada 'frankenstein'", induzindo o eleitor a erro

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 11 de abril de 2024 às 16h48.

Última atualização em 11 de abril de 2024 às 17h01.

Tudo sobreEleições 2024
Saiba mais

A Justiça eleitoral de São Paulo condenou nesta quinta-feira, 11, o deputado federal e pré-candidato à prefeitura da capital Guilherme Boulos (PSOL) ao pagamento de uma multa de R$ 53 mil pela divulgação de cenários eleitorais fictícios a partir dos resultados de uma pesquisa do instituto Real Time BigData.

Na sua decisão, o juiz Antonio Patiño Zorz, da 1ª Zona Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral afirma que Boulos misturou diversos cenários pesquisados pelo instituto para criar uma "pesquisa estimulada 'frankenstein'", induzindo o eleitor a erro.

"A culpa do representado(Boulos) está caracterizada na divulgação como resultado oficial de uma pesquisa efetivamente realizada, mas de um cenário fictício de candidatos que não foi objeto de questionário pelo instituto de pesquisas Real Time BigData", disse o juiz na decisão.

A ação foi movida pelo MDB do atual prefeito Ricardo Nunes e pelo PSB da deputada federal Tabata Amaral, ambos pré-candidatos à prefeitura da cidade.

Na publicação, Boulos divulgou um cenário que juntava os resultados de pesquisas estimuladas diferentes como se fosse uma só. O senador Marcos Pontes (PL) e o deputado federal Ricardo Salles (PL), ambos do mesmo partido, apareciam na simulação do psolista. Tabata criticou o fato de ter sido retirada do cenário divulgado de pesquisa. Após críticas, a publicação foi apagada.

Procurada pela EXAME, a equipe do deputado afirmou que a pré-campanha vai recorrer da decisão. Enrico Misasi, presidente do Diretório Municipal do MDB de São Paulo, afirmou em nota que Boulos terá que pagar uma multa por um "erro grotesco" e que a população da cidade "precisa ficar atento para não se deixar levar por manipulações e distorção de informações".

“Ainda faltam seis meses para a eleição municipal de 2024 e o pré-candidato a prefeito da extrema esquerda Guilherme Boulos (PSOL) já foi condenado por espalhar fake news. Terá, inclusive, de pagar multa pelo erro grotesco. Uma vergonha! A população de São Paulo precisa ficar atenta para não se deixar levar por manipulações e distorção de informações. Nossa pré-campanha está e seguirá comprometida com a verdade. Não vamos admitir que o cidadão paulistano seja enganado", disse Misasi, em nota.

Acompanhe tudo sobre:Eleições 2024Guilherme Boulos

Mais de Brasil

Enchentes no RS: cidade gaúcha registra primeira morte por leptospirose

Famílias aptas para receber auxílio reconstrução no RS terão que validar cadastro a partir do dia 27

Rio Grande Sul voltará a enfrentar chuvas fortes e massa de ar polar nesta semana, alerta Inmet

Rio de Janeiro recebe FII PRIORITY Summit com o tema “Investir com Dignidade”

Mais na Exame