• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

SuperAgro: podcast discute a inflação dos alimentos

Quebras de safra e aumento da energia elétrica pressionam os preços; o podcast recebe o economista André Braz, da FGV, para discutir o tema
Clima e cenário macro pressionam inflação dos alimentos, que chegou a 30% nos últimos 12 meses (Divulgação/Pixabay)
Clima e cenário macro pressionam inflação dos alimentos, que chegou a 30% nos últimos 12 meses (Divulgação/Pixabay)
Por Carla AranhaPublicado em 03/09/2021 15:50 | Última atualização em 03/09/2021 15:56Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A semana não terminou com boas notícias para a economia – e o agronegócio. De acordo com dados do IBGE divulgados na última quarta, 1, setor teve uma queda no PIB de 2,8% no segundo trimestre. As condições climáticas, com uma estiagem prolongada em alguns dos principais estados produtores de grãos e, neste inverno, a incidência de geadas, foram alguns dos vilões do desempenho do agro no período.

Em meio a um cenário de crise hídrica com impactos diretos no preço de energia elétrica, o produtor deve lidar com novos desafios. Para o consumidor, os efeitos são claros. Em 2020, a desvalorização cambial, que chegou a quase 25%, e o aumento das exportações colaboraram para a inflação dos alimentos, que chegou a quase 20%. O problema não desapareceu – pelo contrário. Nos últimos 12 meses, a carne bovina registrou uma alta de 30%, acompanhada pelo arroz (30,4%), aves (30%) e feijão carioca (17,3%), entre outros produtos. O óleo de soja subiu quase 70%. Em média, os aumentos foram de 30% nos últimos 12 meses.

A inflação dos alimentos é o tema deste episódio podast SuperAgroque vai ao ar todas as sextas-feiras, trazendo os desafios, as oportunidades e os grandes personagens do agronegócio brasileiro. O economista André Braz, coordenador do Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), é o entrevistado desta edição.

“A gasolina tem 27% de álcool anidro, produzido a partir do etanol”, diz Braz. “A quebra de safra da cana, como aconteceu agora, tem reflexos nos preços cobrados nos postos”. Ainda há outro fator nessa equação – com a recuperação econômica de países como a China e os Estados Unidos, a demanda por matéria-prima, como minério de ferro, tem aumentado, jogando os preços internacionais para cima. Com isso, os custos ao produtor ficam mais caros, lembra Braz.

Para segurar a inflação, o Banco Central deverá continuar utilizando o mecanismo de aumento da Selic. “A taxa de juros é como se fosse um remédio, que tem que ser usado quando a inflação está espalhando, como está acontecendo”, afirma Braz. “Mas é um desafio porque causa efeito colateral, que é travar a atividade econômica”.

O podcast SuperAgro vai ao ar todas semanas com os principais desafios e oportunidades do agronegócio, com apresentação de Carla Aranha, repórter de macroeconomia da EXAMEClique aqui para ver o canal e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.