Preços globais de alimentos seguem perto de nível recorde

Guerra na Ucrânia impacta fortemente cadeias mundiais de exportação, especialmente de grãos e óleos vegetais, e países tomam medidas para proteger seus mercados
Produtor rural com colete à prova de bala na Ucrânia: guerra provoca disrupções no abastecimento global de alimentos (Dmytro Smoliyenko/ Ukrinform/Future Publishing via Getty Images)/Getty Images)
Produtor rural com colete à prova de bala na Ucrânia: guerra provoca disrupções no abastecimento global de alimentos (Dmytro Smoliyenko/ Ukrinform/Future Publishing via Getty Images)/Getty Images)
Por BloombergPublicado em 03/06/2022 16:32 | Última atualização em 03/06/2022 17:13Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Os preços globais de alimentos permanecem perto de nível recorde, pressionados pelo impacto da invasão da Ucrânia pela Rússia no comércio mundial.

A guerra reduziu drasticamente as exportações da Ucrânia, um dos maiores exportadores de grãos e óleo vegetal. O bloqueio dos principais portos do Mar Negro exacerbou a turbulência na cadeia de suprimentos e elevou preços. A Organização das Nações Unidas alerta que a escassez de alimentos pode levar milhões de pessoas a migrar.

Um indicador da ONU dos custos globais de alimentos teve ligeira queda de 0,6% em maio em relação ao mês anterior. Os preços do óleo vegetal caíram 3,5%, em parte devido à remoção da proibição de exportação de óleo de palma da Indonésia, disse a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.

Os agricultores enfrentam custos recordes de energia e insumos, e a ONU disse que a falta de fertilizantes pode aprofundar a crise alimentar em 2023. Os preços dos alimentos já estavam altos devido a problemas logísticos e uma recuperação da demanda após a pandemia.

A inflação de alimentos atinge mais fortemente os países pobres, onde os mantimentos representam uma grande parte dos orçamentos dos consumidores.

O índice de preços de alimentos da ONU disparou 13% em março, seu ritmo mais rápido já registrado, imediatamente após o ataque da Rússia, antes de cair ligeiramente em abril, com a queda da demanda por óleo vegetal e o enfraquecimento dos preços do milho.

Os preços do óleo vegetal e dos grãos foram pressionados por medidas protecionistas já que os países têm procurado proteger seus próprios mercados. A Malásia proibiu as exportações de frango, enquanto a Índia decidiu reduzir os embarques de trigo e açúcar.

LEIA MAIS: