Agricultura do futuro: fazendas já dispensam terra e até luz solar; veja vídeo

Com sementes especiais e novas tecnologias, cultivo de alimentos em ambientes fechados ganha força; assista o novo episódio do programa EXAME Agro sobre uma fazenda de SP que brotou no asfalto
Diego Martins, dono da fazenda urbana 100% Livre: cultivo de alimentos em antiga área industrial (divulgação/Divulgação)
Diego Martins, dono da fazenda urbana 100% Livre: cultivo de alimentos em antiga área industrial (divulgação/Divulgação)
Carla Aranha
Carla AranhaPublicado em 27/05/2022 às 15:25.

Em meio a preocupações crescentes com o meio ambiente e a escassez de recursos naturais, um novo tipo de negócio tem surgido. As fazendas verticais, que dispensam o uso de terra e até luz solar, vêm ganhando espaço em centros urbanos. O movimento começou em países como o Japão e se disseminou globalmente – o desenvolvimento de sementes especialmente adaptadas às condições de cultivo em espaços fechados tem sido um elemento fundamental para o crescimento da agricultura urbana. No ano passado, esse mercado movimentou 3,6 bilhões de dólares no mundo, 20% a mais do que em 2020, segundo a consultoria MarketsandMarkets.

No Brasil, o modelo também está fincando raízes. O novo episódio do programa EXAME Agro mostra o sistema de produção da 100% Livre, fazenda vertical de São Paulo. Criada em 2019 pelo publicitário Diego Martins, de 36 anos, o negócio tem prosperado. Hoje, são produzidas mais de 90 mil unidades de hortaliças por mês, além de legumes e frutas. Os alimentos são vendidos para grandes redes de varejo como Mambo e Natural da Terra -- e a empresa acaba de fechar um contrato de distribuição nacional com o Carrefour. Assista o vídeo:

A ideia de criar a agtech surgiu depois de uma viagem de Martins ao Japão, em 2018. “Vi uma reportagem lá sobre agricultura urbana e me interessei pelo modelo, totalmente focado na sustentabilidade”, conta o publicitário, que já tinha experiência com negócios. Martins fundou sua primeira empresa em 2013, a Coletiva Mídia, de propaganda.

Na volta ao Brasil, o empreendedor resolveu procurar a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para aprofundar o conhecimento sobre diferentes técnicas de agricultura e investir em inovação. “Logo ficou claro que precisaríamos de cultivares especiais”, diz Martins.

A parceria deu certo. Martins ajudou a montar um laboratório de pesquisa na sede da Embrapa, em Brasília, especialmente voltado ao desenvolvimento de sementes que dispensam terra e luz solar. Ao mesmo tempo, investiu na criação de um centro de inovação na 100% Livre, localizada em uma antiga área industrial de São Paulo, com foco em novas tecnologias utilizadas na agricultura.

Este ano, a empresa, que recebeu em fevereiro um aporte da BMPI Venture, braço de venture capital do fundo BMPI Infra, deve investir cerca de 1 milhão de reais em novas soluções de automação e tecnologia, como inteligência artificial. Faz parte dos planos da agtech atender grandes empresas do setor de alimentos, bebidas e farmacêutico que estão buscando parcerias para a produção de plantas orgânicas em ambientes controlados. “Trata-se de um mercado muito promissor”, diz Martins.

Programa EXAME Agro

A cada quinzena, um novo programa, com transmissão no YouTube, mostra os empresários do agro, as inovações em pesquisa e novos caminhos da sustentabilidade no campo. Para ficar por dentro de tudo, acompanhe a newsletter semanal EXAME Agro. Você assina e recebe na sua caixa de e-mail as principais notícias sobre o agronegócio, assim como reportagens especiais sobre os desafios do setor e histórias dos empreendedores que fazem a diferença no campo.

Toda sexta-feira, você também tem acesso a notícias exclusivas, o que move o mercado e artigos de especialistas.

LEIA MAIS: