Versão da Wired para iPad está pronta, diz Chris Anderson

Em entrevista exclusiva ao site EXAME, o editor da revista de tecnologia revela detalhes do projeto e antevê uma revolução editorial
O editor da revista Wired falou ao Portal Exame durante sua visita a São Paulo, nesta terça-feira (.)
O editor da revista Wired falou ao Portal Exame durante sua visita a São Paulo, nesta terça-feira (.)
M
Mirela PortugalPublicado em 20/05/2010 às 19:32.

São Paulo - Em seu escritório no Vale do Silício, Califórnia, a revista americana Wired guarda um novo capítulo das discussões sobre revistas digitais e o futuro da mídia impressa. A primeira edição para tablets da publicação referência em tecnologia e cultura digital já está pronta, após um ano de projetos e testes. É o que revela Chris Anderson, seu editor-chefe, em entrevista exclusiva ao site EXAME durante sua passagem por São Paulo nesta terça-feira (19).

A edição será lançada no verão americano, ainda sem data específica. Na descrição do projeto, os verbos "inovar" e "experimentar" são os mais repetidos para falar da migração de plataformas. "Nossa intenção era criar algo novo em folha, diferente até mesmo do que já havíamos tentado no aplicativo para iPhone". A principal diferença, diz o jornalista e físico por formação, está na participação direta da redação da revista no novo projeto. "Queremos que o resultado tenha a cara de um produto editorial criado pelo time da Wired impressa", disse. O aplicativo para iPhone e mesmo o Wired.com são obra de equipes independentes, mas o conteúdo para tablets, diz Anderson, é  uma questão de estratégia editorial. "Acredito que o modelo de negócio das revistas será a coexistência das duas vias. Estamos diante do nascimento da mídia do século XXI", disse.

Adobe versus Apple

A publicação estará disponível através do aplicativo Wired Reader, criado inicialmente através de Adobe Air, plataforma de desenvolvimento para web que usa Flash. Ou seja, todo o projeto foi envolvido no meio da polêmica guerra anti-Adobe iniciada recentemente por Steve Jobs, CEO da Apple. A solução encontrada com os trabalhos já em andamento foi criar um plano B, oferecendo duas opções de produto, uma sem Air para iPads, e outra com, para as demais tablets, conta o editor "Tivemos de nos adaptar. Acho particularmente uma boa solução, e justa com as duas empresas".

Publicada pela editora americana Condé Nast, a Wired não é a primeira revista da casa a ganhar versão para iPad. A Vanity Fair fez sua estreia no tablet da Apple em maio. A GQ, para o público masculino, estreou no mesmo mês e teria desempenhado vendas bem abaixo do ideal - notícias em sites especializados reportaram o download de apenas 365 cópias. A Condé Nast desmentiu a notícia em nota na tarde de hoje, contabilizando as vendas em 57 mil cópias.

Anderson comentou o assunto dizendo que é natural que as vendas não alcancem cifras astronômicas agora. "Não vivemos ainda a popularização das tablets,  ou mesmo o amadurecimento total das ferramentas. Não é impossível imaginar um cenário parecido com o que aconteceu com celulares". 

Autor dos livros "A Cauda Longa" e "Grátis,", o jornalista esteve em São Paulo para participar do Online Marketing Expo. Ele voltará ao Brasil nos próximos dias 17 e 18 de junho, no Info@Trends, que discutirá temas que estão mudando a maneira de fazer negócios, com ênfase em tecnologia, internet e mobilidade.