Tecnologia
Acompanhe:

Vendas do Nexus One ficam abaixo de rivais

Google vendeu 135 mil celulares Nexus One nos primeiros 74 dias do aparelho no mercado

Peter Chou, CEO da HTC, exibe Nexus One: estimativas sugerem um início menos que brilhante para o plano do Google de expandir seu papel no setor de telefonia móvel. (.)

Peter Chou, CEO da HTC, exibe Nexus One: estimativas sugerem um início menos que brilhante para o plano do Google de expandir seu papel no setor de telefonia móvel. (.)

D
Da Redação

16 de março de 2010, 18h38

São Franscisco - As vendas iniciais do celular Nexus One, do Google, foram significativamente inferiores às do Apple iPhone e do Motorola Droid, informou uma empresa de pesquisas.

De acordo com um relatório da Flurry, o Google vendeu cerca de 135 mil de seus celulares Nexus One nos primeiros 74 dias do aparelho no mercado, ante um milhão de iPhones no caso da Apple e 1,05 milhão de Droids, da Motorola, no mesmo prazo. O Motorola Droid usa software do Google.

As estimativas de vendas, que a Flurry diz ter baseado em aplicativos utilizando sua tecnologia analítica baixados para a maioria dos celulares, sugerem um início menos que brilhante para o plano do Google de expandir seu papel no setor de telefonia móvel.

O Google lançou o Nexus One, desenvolvido com a HTC, uma fabricante de celulares de Taiwan, em janeiro; foi a primeira vez que a gigante das buscas da Internet colocou um aparelho à venda diretamente para os consumidores.

Mas o Nexus One, ao contrário do iPhone e do Droid, só está à venda na web e não pode ser encontrado no varejo convencional. O Google também concentrou sua publicidade para o aparelho exclusivamente na internet, e não realizou as campanhas televisivas de destaque que apoiaram o lançamento do iPhone e do Droid.

Aaron Kessler, analista do Kaufman Brothers, disse que sua suposição seria a de que o Google venderia mais de 135 mil unidades.

"Fica claro que o Google não está esperando arrecadar muito dinheiro com a comercialização do aparelho. Não parece que a empresa tem grandes expectativas com ele," disse Kessler.

Mas ele apontou que a estratégia mais ampla do Google para o setor de comunicação móvel é expandir a base geral de aparelhos dos diversos fabricantes que empregam o software Android para smartphones.

De acordo com recente relatório da comScore, a participação de mercado dos smartphones equipados com o Android cresceu a 7,1% em janeiro nos Estados Unidos, ante 2,8% em outubro de 2009.