Tecnologia

Tinder lança "botão de pânico" para resposta a emergências

Usuário poderá alertar as autoridades sobre situações potencialmente perigosas; a medida é uma tentativa de aumentar a segurança do app de namoro

Tinder: um novo recurso apresentado pela empresa permite que os usuários optem pelo aplicativo de segurança pessoal Noonlight (Mike Blake/Reuters)

Tinder: um novo recurso apresentado pela empresa permite que os usuários optem pelo aplicativo de segurança pessoal Noonlight (Mike Blake/Reuters)

A

AFP

Publicado em 23 de janeiro de 2020 às 17h16.

O Tinder anunciou nesta quinta-feira que os usuários dos EUA em breve usarão um "botão do pânico" para alertar as autoridades sobre situações potencialmente perigosas, como parte de uma iniciativa reforçada de segurança do popular aplicativo de namoro.

Um novo recurso apresentado pelo Tinder permite que os usuários optem pelo aplicativo de segurança pessoal Noonlight, que conecta os usuários aos serviços de emergência pessoais.

Um porta-voz do Tinder afirmou que o recurso será lançado nos próximos dias nos Estados Unidos e conectará os usuários a "despachantes treinados que entram em contato com as autoridades em nome do usuário".

O novo recurso de segurança "atua como um guarda-costas silencioso em situações em que você está sozinho ou encontrando alguém pela primeira vez", disse Brittany LeComte, cofundadora da Noonlight.

O Tinder também está adicionando verificação de fotos, para comparar utilizando inteligência artificial uma foto posada tirada em tempo real para as fotos de perfil.

Membros com fotos autenticadas receberão um "crachá" que verifica se as imagens são autênticas. O recurso de fotos está sendo testado "em mercados selecionados" e estará amplamente disponível no final deste ano.

O Tinder, conhecido por dar aos usuários a opção de "deslizar" para a direita ou esquerda para aceitar ou rejeitar um encontro, é o maior dos aplicativos do Match Group, operando em 190 países, alegando facilitar um milhão de encontros por semana.

Para ajudar a aliviar as preocupações com riscos pessoais, o Tinder afirmou que está lançando um centro de segurança dentro do aplicativo para manter os usuários informados de seus recursos.

Esse recurso está sendo lançado nos Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e Alemanha e será "localizado" para mercados adicionais ao longo do ano.

O Tinder e seus semelhantes aplicativos de namoro online, incluindo PlentyOfFish, OkCupid e Hinge, que compõe o Match Group, serão desmembrados como uma empresa independente este ano, de acordo com a empresa-mãe IAC.

Acompanhe tudo sobre:seguranca-digitalTinder

Mais de Tecnologia

Meta abre dados do Instagram para estudo do impacto na saúde mental de adolescentes

O que é o Prime Day? Nos EUA, ele deve movimentar US$ 14 bilhões

Elon Musk decide transferir sedes da SpaceX e X para o Texas

81% da Geração Z no Brasil deixa de usar apps por preocupações com privacidade, diz pesquisa

Mais na Exame