• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

O que há de novo nas TVs 4K da Samsung de 2021

A fabricante sul-coreana lançou uma nova categoria de televisores no Brasil. Chamada Neo Qled 4K, ela é a mais avançada em tecnologia e design da companhia; leia análise
 (Divulgação/Samsung)
(Divulgação/Samsung)
Por Lucas AgrelaPublicado em 03/06/2021 10:00 | Última atualização em 04/06/2021 08:56Tempo de Leitura: 8 min de leitura

A linha de TVs da Samsung para 2021 é composta por 40 aparelhos. Entre eles, a linha mais avançada é a nova Neo Qled, primeira a usar uma tecnologia de iluminação chamada Mini LED, voltada a melhorar o contraste e reduzir a invasão de cores que não sejam o preto ou o cinza em cenas escuras. Com isso, a fabricante aposta em uma tecnologia para combater a linha Oled da LG, sua principal rival no mercado brasileiro. A guerra entre as empresas é antiga, mas, agora, chega a um novo patamar.

“A Neo QLED chega para reforçar a nossa posição de liderança no mercado e para oferecer a nova tecnologia Mini LED para o mercado brasileiro”, afirma Erico Traldi, diretor da divisão de TV e áudio da Samsung, em entrevista para a EXAME

O segmento de TVs está em alta no Brasil. De acordo com dados da consultoria GFK, TVs com tela de 60 polegadas ou mais cresceram, em faturamento, 67,8% de 2020 para 2021 e representam 17% do mercado total neste ano (4,3 pontos percentuais a mais do que no ano passado), considerando o período de 1º de janeiro até 9 de maio. No segmento de TVs com 49 até 59 polegadas, o aumento em faturamento foi de 18,6%. A categoria representa 41% do mercado total até 9 de maio, o que indica uma leve queda de 1,8 ponto percentual. Já as TVs com resolução 4K tiveram alta de 25,9% neste ano e são 63% do mercado.

A linha de televisores Neo Qled é a primeira a utilizar essa tecnologia, que oferece bom desempenho geral para reprodução de cores fiéis, boa taxa de contraste e boa reprodução das nuances de cinza. 

TV 4k Samsung Neo Qled

(EXAME/Exame)

Em termos de tecnologia de imagem, a inovação da linha Neo Qled é o uso da tecnologia Mini LED. Diferentemente de painéis com iluminação traseira de LED (padrão de mercado), as telas dos televisores dessa linha possuem iluminação por pequenas zonas. A tecnologia Mini LED foi projetada para ter apenas 1/40 da altura de um LED convencional. Isso acontece porque ele tem micro camadas preenchidas com muitos LEDs em vez de usar uma lente para dispersar a luz e um pacote para fixar o LED no lugar, como acontece em aparelhos mais simples.

Com isso, há melhoria de brilho e contraste de imagens, um avanço especialmente perceptível em cenas escuras, onde as nuances de preto e cinza ficam mais nítidas do que na geração passada da linha Qled. 

A novidade é combinada com a tecnologia de HDR (grande alcance dinâmico, na sigla em inglês), que tem finalidade similar e já estava presente em televisores anteriores da marca. Vale notar que Neo QLED é uma categoria acima da Qled, que já era topo de linha. A família QLED foi mantida em 2021, mas ela não conta com a nova tecnologia de Mini LED.

A reprodução de tonalidades pretas ou cinzas se mostra mais fiel do que antes e o efeito de invasão de outras cores vindas dos pixels adjacentes (efeito blooming) foi reduzido com a adoção do Mini LED. O preto fica com aspecto mais natural em uma tela do que o preto de pixels apagados de telas Oled, que parecem mais intensos do que outras cores.

Com a remoção do empacotamento dos pixels, a TV ficou mais fina do que na linha Qled de 2020, chegando a ter 2,7 cm de espessura, o que contribui de forma favorável para um dos seus principais atributos: o design. Ele tem até nome. É chamado de Infinity One. 

TV 4k Samsung Neo Qled

(EXAME/Exame)

As bordas ao redor da tela são finas, os pés de suporte são centralizados para permitir a acomodação de telas grandes mesmo em móveis pequenos, e a traseira tem revestimento que é de plástico, mas de boa qualidade. Ranhuras lineares na traseira da TV permitem organizar e até esconder os cabos conectados ao televisor. 

Controle remoto da TV 4k Samsung Neo Qled

(EXAME/Exame)

À primeira vista, o controle remoto não mudou muito de aparência. Ele continua com botões de atalho para serviços de streaming de vídeo populares e mantém sua funcionalidade de “controle remoto único”, que permite controlar consoles de games e até a Apple TV. Mas sua principal novidade é a alimentação por energia solar. 

Controle remoto da TV 4k Samsung Neo Qled

(EXAME/Exame)

Um pequeno painel fotovoltaico fica na parte de trás do acessório, uma das iniciativas da Samsung para ser uma empresa mais sustentável (há também a possibilidade de transformar as caixas do televisor em casinhas para gatos ou revisteiros, de modo a estimular a reciclagem pelo próprio consumidor). 

Caso a bateria do controle termine durante a noite, há a possibilidade de recarregar a sua bateria em um carregador USB Type-C, adotado em smartphones com sistema operacional Android, como os da Samsung, Motorola, Xiaomi ou Realme.

Sistema operacional

O sistema operacional da Neo Qled de 2021 oferece uma experiência de uso consideravelmente mais fluida do que a vista em televisores da marca no ano passado. A movimentação do cursor em relação ao toque no controle remoto é mais ágil e a interface ficou com aspecto mais limpo e com ícones menores. 

Sistema Tizen TV Samsung Neo Qled

Sistema Tizen: TV Samsung Neo Qled tem nova versão do software (EXAME/Exame)

A oferta de aplicativos disponíveis na loja do sistema Tizen é ampla. No entanto, nenhuma marca de TV com sistema próprio consegue competir em volume de apps disponíveis contra o Google, no Android TV, ou contra a Amazon, no Firestick.

Som em movimento

O som em movimento é uma tecnologia que a Samsung apresentou na linha Qled do ano passado e que está novamente presente na Neo Qled deste ano. 

A ideia é simples: aproveitando o poder de processamento de dados de imagens das cenas em tempo real, o televisor direciona o som para causar a impressão de vir de diferentes pontos da tela. Ou seja, a proposta é de que o som venha do ponto de onde foi emitido na cena exibida. 

A tecnologia funciona bem, mas só é perceptível se você se atentar a ela. Caso contrário, sua experiência de assistir a filmes e séries pode se tornar mais imersiva devido um recurso sofisticado que passa despercebido - o que, no fim das contas, é positivo.

Funções adicionais

Como a Neo Qled é um televisor que busca aliar o máximo da tecnologia disponível no mercado em 2021, o modelo avaliado neste review, o QN90A, tem muitas funções adicionais.Para games, a TV é compatível com a tecnologia FreeSync, da Nvidia, que evita a falha de renderização de imagens de jogos chamada pelo jargão americano “screen tearing”. A taxa de atualização de imagem é de 120 Hz e a TV possui um modelo de visualização que imita um monitor de proporção 21:9 ou 32:9, com visão mais ampla (um ativo importante em jogos de sobrevivência).

A conexão Bluetooth para periféricos permanece nesse produto. Com isso, é possível conectar fones de ouvido, caixas de som ou praticamente qualquer acessório com Bluetooth.

O televisor tem um recurso chamado “multitela”, que permite visualizar dois conteúdos diferentes ao mesmo tempo. Um fã de futebol, por exemplo, pode ver o jogo e os comentários nas redes sociais ou até mesmo uma segunda partida que seja importante para o campeonato. Para dar início ao modo multitela, há um botão no canto superior direito do controle remoto da TV e a usabilidade da função é simples.

Em termos de conectividade, a QN90A mantém a capacidade de conectar-se a diferentes dispositivos da Samsung por meio do Smart Things, aplicativo disponível também para smartphones. A novidade nesse campo é que a TV pode, agora, controlar até mesmo aparelhos que funcionem com tecnologia infravermelho, como um ventilador de teto. Por meio da função chamada Digital Butler, o pareamento do controle remoto pode ser feito com a TV e os dispositivos passam a ser comandados pelo controle remoto do televisor.

Os assistentes de voz começaram a chegar às TVs há alguns anos. Na geração atual de TVs da Samsung, três estão disponíveis e obedecem a comandos de voz em português. O consumidor pode escolher entre a Samsung Bixby, a Amazon Alexa ou o Google Assistente. Todos funcionam para realizar tarefas simples, como aumentar ou reduzir o volume do aparelho, ou criar iniciar um temporizador. A experiência de uso desses assistentes é muito parecida com a que se tem em um smartphone, mas em uma tela consideravelmente maior.

Conclusão

A Neo Qled indica um novo caminho para a Samsung no segmento topo de linha. Ao longo dos anos, a empresa evoluiu na reprodução do preto e do cinza em seus televisores, mas a tecnologia Mini LED foi o maior avanço da companhia desde a apresentação da primeira Qled, em 2017, com tecnologia de pontos quânticos (película de revestimento ainda mantida na linha). Se antes a escolha de um televisor topo de linha se dava pela oferta de tecnologias avançadas, qualidade de imagem e, no limite, capacidade de reprodução do preto e do cinza, a decisão do consumidor acabou de ficar muito mais difícil.

Como o novo iPhone e o leilão do 5G afetam a bolsa? Entenda assinando a EXAME

Podcast EXAME Tech: A Samsung além dos celulares