Rappi dá primeiro passo para se tornar superaplicativo e mira Spotify

Dentro da área de entretenimento da companhia, serão oferecidos serviços de jogos, streaming, lives e até compras dentro das transmissões ao vivo

O aplicativo de delivery colombiano Rappi quer ir além das entregas e anunciou nesta quarta-feira, 8, que lançará primeiro no Brasil um streaming de música, uma ferramenta de lives e também jogos dentro de seu aplicativo. A iniciativa, chamada de Rappi Entertainment, é o primeiro passo da empresa para se tornar um “superapp” e trazer para dentro do programa serviços de todas as frentes possíveis.

Dentro da área de entretenimento, serão oferecidos os serviços Rappi Games, Rappi Live Events e Rappi Music. Segundo a empresa, em comunicado enviado à imprensa, “desse modo pode-se entregar entretenimento e diversão em tempos de isolamento social.”

O Rappi Games contará com mais de 150 jogos, ranking de pontuações entre os jogadores e premiações — ainda não definidos. Já o Rappi Live Events terá eventos online exclusivos com “artistas, influenciadores e chefs” — dentro do aplicativo, o usuário comprará uma espécie de ingresso online para assistir às apresentações.

A ferramenta traz também a novidade do “live shopping“, capaz de conectar os eventos ao vivo com a experiência de compra em tempo real. Por exemplo, se um influenciador apresentar um produto de beleza, você poderá pedi-lo diretamente pelo app, sem precisar fechá-lo. As lives dos artistas são comumente patrocinadas por grandes empresas, como foi o caso da live feita pela cantora sertaneja Marília Mendonça no YouTube e traz bons resultados para as marcas — o recorde de audiência foi patrocinado pela Havaianas e, na época, o produto mais vendido no site da marca foi o chinelo que a cantora usou durante o vídeo.

Chamado de shopstreaming, o modelo de compras ganhou força com a quarentena. A consultoria iiMedia estima que o faturamento desse modelo de vendas será de 129 bilhões de dólares em 2020, um crescimento de 111% em relação a 2019.

Já o Rappi Music vem para brigar direto com o Spotify e é uma plataforma de streaming musical direto no aplicativo de delivery. A empresa afirma que o catálogo de músicas será “completo” e trará a opção de criar playlists, fazer downloads e compartilhar as músicas preferidas com os amigos. Mais uma opção para os brasileiros, que já tem ofertas da Amazon Music Unlimited, do Deezer, da Apple Music, entre outros.

Em maio, a empresa também lançou um botão contra a violência doméstica em ação com advogadas.

O primeiro passo para o superapp está dado. Agora é ver o que vai acontecer — talvez até ao vivo.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE