Página de Mark Zuckerberg no Facebook é invadida

Invasor publicou mensagem em que sugeria transformar Facebook em um "negócio social"
Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Justin Sullivan/Getty Images)
Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Justin Sullivan/Getty Images)
C
Célio YanoPublicado em 26/01/2011 às 10:57.

São Paulo – A página do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, na própria rede social foi atacada por crackers na noite de terça-feira (25), afirmam diversos sites especializados em tecnologia. Uma mensagem que teria sido publicada pelo invasor chegou a ser “curtida” mais de 1,8 mil vezes e a receber 500 comentários antes de ser retirada do ar.

O texto, sugeria que o Facebook deixasse que usuários da rede social investissem na empresa. “Vamos iniciar o hacking: Se o Facebook precisa de dinheiro, ao invés de ir até os bancos, por que não deixa seus usuários investirem de uma maneira social? Por que não transformar o Facebook em um ‘negócio social’ como o vencedor do Prêmio Nobel Muhammad Yunus descreveu? O que vocês acham? #hackercup2011”.

Na última sexta-feira, o Facebook anunciou ter levantado 1,5 bilhão de dólares com investidores, a maior parte gerenciada pelo banco de investimentos Goldman Sachs.

Em dezembro do ano passado, a rede social fundada por Zuckerberg recebeu um aporte de 500 milhões de dólares do Goldman Sachs e do fundo de investimento Digital Sky Technologies. Um grupo de usuários, insatisfeito com o negócio, ameaça abandonar o site em protesto contra o aporte.

O jornal britânico Guardian informa que o perfil do CEO do Facebook é administrado por vários funcionários da empresa e que algum deles poderia ter tido a senha da conta roubada. O site Mashable levanta a questão: “Se o Facebook, ou mais precisamente a equipe de relações públicas que controla a página por ele, não consegue deixar sua conta livre de intrusos, quem consegue?”.

O termo #hackercup2011 publicado na mensagem se refere a uma competição anual entre hackers programadores, que competem por fama e dinheiro, e que, ironicamente, terá a final disputada no escritório central do Facebook em março deste ano.

O Facebook ainda não se pronunciou sobre a invasão. Após o ataque, a página de Zuckerberg foi retirada do ar e ficou indisponível até a manhã desta quarta-feira (26).

No último domingo (23), a página do presidente da França Nicolas Sarkozy também foi alvo de invasão de crackers, que publicaram uma falsa mensagem em nome do político, dizendo que ele havia decidido não ser candidato à reeleição em 2012, “devido às excepcionais circunstâncias do país”.