O PC não morreu: vendas de computadores disparam em 2020 e batem recorde

Dados de consultorias como IDC, Gartner e Canalys apontam que 2020 foi o melhor ano da década para o setor

O mercado de computadores não morreu. E os números mais recentes mostram que o setor está aquecido. Dados de empresas de pesquisas e consultorias como Canalys, Gartner e IDC apontam que as vendas de computadores podem ter aumentado mais de 13% no ano passado relação aos números obtido em 2019.

A consultoria IDC indica que foram comercializados 302 milhões de aparelhos no ano passado, 13,1% a mais do que em 2019. “A demanda está empurrando o mercado de PCs para frente e todos os sinais indicam que esse aumento ainda tem um longo caminho a percorrer”, disse Ryan Reith, vice-presidente da IDC.

Na análise da Canalys foram 297 milhões de unidades vendidas, o que representa um aumento de 11% ante os números obtidos em 2019. A empresa de pesquisa ainda informa que este foi o maior aumento anual do setor desde 2010. A consultoria Gartner, que informou um aumento de 4,8% do setor, também relata que 2020 foi o grande ano da década para os PCs.

Notebooks e estações de trabalho móveis representaram a maior parte das vendas, com 235,1 milhões de aparelhos vendidos – 44% a mais do que em 2019. Já computadores de mesa tradicionais, os chamados desktops, tiveram queda de 20% no ano passado e terminaram o ano com 61,9 milhões de unidades enviadas pelas fabricantes.

A pandemia do novo coronavírus foi apontada como crucial para o aumento na venda de PCs, que já registra três trimestres consecutivos com números positivos em uma comparação anual. “Antes de 2020, os consumidores estavam mudando para o foco no telefone, mas a pandemia reverteu essa tendência”, afirma Mikako Kitagawa, diretor de pesquisa do Gartner.

Entre as empresas, a Canalys informa que a Lenovo segue na liderança do setor com 24,5% das vendas de computadores durante os quatro trimestres do ano passado, aumentando sua fatia registrada em 2019 e obtendo um aumento de 11,9% nas vendas. Foram comercializados 72,6 milhões de computadores da empresa chinesa no período.

Entre as principais fabricantes, a Apple foi uma das que mais cresceu. A empresa comandada por Tim Cook aumentou em 16,6% as vendas de computadores MacBooks e iMacs no período, totalizando quase 22,6 milhões de aparelhos comercializados e foi responsável por 17,5% das vendas totais. Em 2020, a Apple lançou uma nova geração de MacBooks com chips próprios.

No ranking, a HP aparece na segunda posição do mercado com 67,5 milhões de aparelhos vendidos e 22,8% do mercado (era 23,6% em 2019). A Dell também perdeu participação e foi responsável por 16,9% das vendas (era 17,4%) graças aos quase 50,3 milhões de aparelhos vendidos. A Acer aparece na quinta posição, atrás da Apple, com 20 milhões de unidades vendidas, 6,7% do total, um leve crescimento ante 2019.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.