Tecnologia
Acompanhe:

Microsoft espera que ChatGPT torne o Bing mais inteligente

A implementação da IA no motor de busca traria vantagens para competir com o Google

Bing, da Microsoft: buscador tem uma fatia de mercado muito menor que o Google (SSOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Bing, da Microsoft: buscador tem uma fatia de mercado muito menor que o Google (SSOPA Images/LightRocket/Getty Images)

B
Bloomberg

Publicado em 5 de janeiro de 2023, 12h36.

Última atualização em 5 de janeiro de 2023, 17h36.

Microsoft se prepara para adicionar o chatbot ChatGPT, da OpenAI, ao seu mecanismo de busca Bing em uma tentativa de atrair usuários do rival Google, de acordo com uma pessoa familiarizada com os planos.

A Microsoft espera que as respostas mais parecidas com um diálogo e contextualizadas às perguntas conquistem os usuários do serviço de busca e forneçam respostas de melhor qualidade para além de links, disse a pessoa, que não quis ser identificada por discutir planos confidenciais.

LEIA TAMBÉM: ChatGPT: conheça a inteligência artificial capaz de escrever artigos, roteiros e músicas

A empresa com sede em Redmond, Washington, pode lançar o recurso adicional nos próximos meses, mas ainda avalia a precisão do chatbot e a rapidez com que ele pode ser incluído no mecanismo de busca, disse a pessoa. A versão inicial pode ser um teste limitado a um grupo restrito de usuários, acrescentou.

A fabricante de software, cujo serviço Bing é muito menor do que o principal mecanismo Google Search, da Alphabet, experimenta o ChatGPT há vários meses, disse a pessoa. Os planos da Microsoft foram relatados anteriormente pelo The Information.

A OpenAI, loja de pesquisas de IA apoiada por investimento de US$ 1 bilhão da Microsoft, lançou publicamente o ChatGPT para testes com usuários em novembro. A capacidade do chatbot de mostrar resultados de tudo, desde receitas de coquetéis até redações escolares aparentemente autênticas, o elevou aos holofotes desde então.

Embora o serviço de IA às vezes ofereça com confiança informações incorretas, alguns analistas e especialistas sugeriram que sua capacidade de resumir dados disponíveis publicamente pode torná-lo uma alternativa crível para o mecanismo de busca do Google e uma lista de links gerados por pesquisa.

O CEO da OpenAI, Sam Altman, escreveu sobre o ChatGPT no Twitter no mês passado e disse que é “um erro confiar nele para qualquer coisa importante no momento”.

No mês passado, os funcionários do Google perguntaram ao CEO Sundar Pichai e ao chefe de pesquisa de IA Jeff Dean sobre a ameaça do chatbot ao Google.

O Google tem trabalhado em tecnologia semelhante em seu sistema LaMDA, ou modelo de linguagem para aplicativos de diálogo, mas enfrenta riscos à sua reputação com quaisquer erros, disseram os dois executivos, conforme relatado pela CNBC.

Desde então, Pichai e a administração da empresa mobilizaram equipes de pesquisadores para responder ao ChatGPT, declarando a situação como uma ameaça de “código vermelho”, informou o New York Times.

A Microsoft preferiu não comentar. A OpenAI não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

LEIA TAMBÉM: O que o CEO do Google pensa sobre o ChatGPT, a IA que responde perguntas, programa e escreve músicas