Google não lê mais seus e-mails—não pelo motivo que você gostaria

Google deixará de "ler" seus e-mail para exibir publicidade. Razão será para vender pacotes corporativos
Gmail: Google não lerá mais mensagens trocadas para exibir anúncios (Google/Reprodução)
Gmail: Google não lerá mais mensagens trocadas para exibir anúncios (Google/Reprodução)
V
Victor Caputo

Publicado em 26/06/2017 às 10:12.

Última atualização em 26/06/2017 às 10:15.

São Paulo - O Google anunciou que irá deixar de "ler" e-mails trocados pelas 1,2 bilhão de contas do Gmail. A técnica era usada para que fosse possível oferecer anúncios bastante direcionados dentro do serviço.

Se a atitude parece nobre inicialmente, o objetivo não é assim tão bacana para o usuário. A demanda partiu de sua divisão de nuvem, que quer vender mais contas corporativas a empresas. O G Suite, nome desses pacotes, é concorrente da Microsoft, que comercializa o Office 365, também em modelo de assinatura.

Diferente das contas grátis, as contas de e-mail pagas dentro do G Suite não analisavam as mensagens trocadas. Mesmo assim, havia uma espécie de confusão e não, para empresas, totalmente claro que as contas pagas não tinham mensagens analisadas. Com isso, o Google espera que as empresas tenham menos medo de possíveis problemas de privacidade e passem a pagar pelo G Suite.

Mas isso não significa que usuários não verão mais anúncios dentro do Gmail. As propagandas continuarão sendo expostas, mas a fonte de informação será outra.

Agora, dados registrados manualmente (como sexo, idade, etc) e outros externos (como buscas no Google) servirão como fonte de informações para anúncios. "Essa decisão deixa os anúncios no Gmail alinhados com como nós personalizamos anúncios para outros produtos do Google", afirma no texto de anúncio a chefe de Google Cloud Diane Greene.

O pacote corporativo já tem mais de 3 milhões de empresas como clientes, de acordo com o Google.