Tecnologia

Facebook processa site por nome que termina em "book"

Empresa alega que uso da terminação pode diluir identidade da marca

Rede social de Mark Zuckerberg também quer direitos sobre a palavra "Face" (.)

Rede social de Mark Zuckerberg também quer direitos sobre a palavra "Face" (.)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de agosto de 2010 às 11h27.

São Paulo - O Facebook processou nesta semana os responsáveis por uma rede social voltada para educadores chamada Teachbook, alegando que tem os direitos sobre a terminação "book" quando ela designa uma rede social. As informações são da revista Wired, que publicou uma cópia da ação impetrada pelo Facebook.

"Apropriando-se indevidamente da parte 'book' da marca registrada Facebook, o réu criou sua própria comunidade online em uma clara tentativa de se tornar um Facebook para professores", diz o documento. A maior rede social do mundo, fundada por Mark Zuckerberg, disse ainda que o termo "book" não pode ser usado livremente pois poderia se tornar um termo genérico para comunidades virtuais, diluindo a identidade da marca Facebook.

Em entrevista à InformationWeek, Greg Shrader, diretor do Teachbook, negou que o site tenha tentado obter vantagem com a popularidade do Facebook, e ressaltou que, no contexto de uma comunidade para professores, a palavra "book", que significa "livro" em inglês, faz todo o sentido. "Não sabíamos que o Facebook era dono da internet e da palavra 'book'", afirmou Shrader à publicação.

"Face"

E além do imbróglio envolvendo a palavra "book", a empresa também está tentando obter os direitos sobre a palavra "Face", segundo informa o site TechCrunch. O problema é que Aaron Greenspan, proprietário da empresa Think Computer tem o registro da marca FaceCash e está contestanto o requerimento já prevendo eventuais problemas.

Greenspan, aliás, é ex-colega do atual presidente do Facebook Mark Zuckerberg e chegou a entrar na Justiça alegando ter participado da criação do site. O TechCrunch lembra que a Apple detém o registro da marca "FaceTime", que nomeia o recurso de videochamada do iPhone 4.

Leia outras notícias sobre o Facebook

Siga as notícias de Tecnologia do site EXAME no Twitter

Acompanhe tudo sobre:CopyrightEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetJustiçaRedes sociais

Mais de Tecnologia

Alexa, da Amazon, pode subir preço em versão mais inteligente para competir com ChatGPT

CEO da Nvidia ganha US$ 7,6 bilhões em um só dia

Muito tempo no celular? Veja dicas para diminuir seu tempo de tela

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

Mais na Exame