Tecnologia

5 celulares com carregamento por indução (sem fio)

Veja smartphones que permitem recarregar a bateria apenas por aproximação para ter uma vida com cada vez menos cabos

Carregamento com e sem fio: entenda as diferenças e quais modelos já oferecem o recurso (picture alliance/Getty Images)

Carregamento com e sem fio: entenda as diferenças e quais modelos já oferecem o recurso (picture alliance/Getty Images)

Rafael Arbulu
Rafael Arbulu

Redator freelancer

Publicado em 21 de março de 2024 às 17h01.

Última atualização em 21 de março de 2024 às 17h21.

Antes um recurso disponível apenas aos modelos mais avançados – e a quem pudesse pagar por eles – a recarga de bateria por indução vem se tornando uma função cada vez mais popular em smartphones intermediários e até alguns modelos de base.

Veja quais são os celulares que você pode adquirir hoje que possuem o recurso de recarregar apenas pela aproximação de uma superfície com suporte e até compartilhar energia com os amigos:

O que é a recarga por indução?

Antes de mais nada, é importante mostrarmos o que é a essência da recarga por indução de um celular: em termos bem resumidos, trata-se da ação de recuperar a carga da bateria de um aparelho apenas aproximando-o de uma superfície que tenha suporte a essa tecnologia.

Mais além, alguns aparelhos com essa capacidade conseguem compartilhar a energia que têm com outros dispositivos – pense naquele seu amigo que ficou sem bateria no bar e agora não tem como chamar um carro pelo app para levá-lo para casa.

A grande conveniência deste recurso é livrar você da necessidade de levar cabos variados por aí. É bem verdade que a universalização dos conectores e fios está bem encaminhada, mas até isso acontecer de forma definitiva, estamos sujeitos a não ter como recarregarmos nossas energias em horas potencialmente problemáticas. Daí a recarga por indução.

O que é o “Padrão Qi” de carregador sem fio?

O Qi (pronuncia-se “chee”, do idioma chinês: a tradução é “força vital”) foi introduzido em 2009 e é o padrão de tecnologia de recarga por indução mais reconhecido e mais usado pelas fabricantes de smartphones no mundo, devido à simplicidade de seu funcionamento.

Na prática, você só precisa que seu aparelho seja equipado com uma superfície com capacidade de transferência eletromagnética de energia – hoje, marcas famosas como Samsung, OnePlus, Google e Huawei, para citar algumas, têm vários aparelhos compatíveis com este recurso.

O iPhone – que normalmente foge de tecnologias abertas por uma política da Apple – não usa o Qi diretamente, mas seus acessórios da linha MagSafe trazem certificação para compatibilidade com este formato também, então neste ponto, você não terá nenhum problema caso troque de sistema, indo do Android para o iOS ou vice versa.

Quais são as vantagens e desvantagens da recarga por indução?

Como dissemos no começo do texto, a recarga por indução, inicialmente, era destinada aos smartphones mais “premium” e, obviamente, o preço mais alto destes modelos significa que apenas uma parcela do público consumidor teve acesso à ela.

Percebendo a conveniência que ela traz e, acima de tudo, a possibilidade de novas linhas de produtos e negócios que ela permite criar, as fabricantes de tecnologia optaram por disponibilizar o recurso em celulares mais baratos, essencialmente ampliando a gama de benefícios (e alguns sacrifícios) trazida por esta tecnologia, tais como…

Ausência de cabos

Obviamente, o benefício mais notável da recarga por indução é fazer com que você não precisa levar consigo um cabo USB na mochila ou bolsa. Apesar de serem bem fáceis de se transportar, é meio incômodo deixar fios pendurados entre seus outros pertences – fora a necessidade de encontrar saídas de energia (tomadas no metrô, conectores compatíveis em desktops e notebooks etc.) que, por si só, já é algo bem trabalhoso.

Mais acessórios para comprar

Apesar do foco estar nos celulares e tablets, a recarga por indução serve a uma gama imensa de aparelhos tecnológicos: hoje em dia, diversas empresas desenvolvem produtos específicos para esta finalidade – carregadores de aproximação com suportes extras, por exemplo, permitem que você recarregue smartphones, smartwatches e fones de ouvido sem fio ao mesmo tempo, economizando tempo e espaço em sua mesa.

Menos custos com assistência técnica

Conectores USB têm um problema comum a todos os formatos: o simples ato de inserir e remover um cabo lhe causa desgaste. Com o tempo, esse desgaste se acumula e o conector deixa de funcionar de forma eficaz, forçando você ou a comprar um cabo novo, ou contratar uma assistência técnica (no caso do problema ser não no cabo, mas na entrada do seu aparelho).

A recarga por indução, por outro lado, requer apenas que você aproxime as duas superfícies compatíveis para que a transferência energética ocorra automaticamente, sem que você precise fazer qualquer coisa. O smartphone chegou a 100% de carga? Alguns carregadores “entendem” isso e cortam o fornecimento sozinhos, notificando o usuário do fim da recarga.

E convenhamos, serviços de assistência técnica para produtos tecnológicos tendem a ser bem caros, então é sempre bom economizarmos dinheiro para quando eles realmente são necessários.

Recarga lenta é uma desvantagem

Outra tecnologia recente que envolve a bateria de dispositivos é a chamada “recarga rápida”. O nome é bem auto explicativo: recargas maiores de energia, em menos tempo de aparelhos presos à tomada.

Entretanto, embora cuidem de um mesmo problema – a ausência de energia de um aparelho – hoje são raros (e caros) os carregadores por indução que oferecem uma recarga veloz. Normalmente, um dos sacrifícios da ausência de cabos USB é justamente a velocidade, então é quase certo que seu celular ficará em cima da superfície indutiva por mais tempo do que ficaria se estivesse ligado à tomada.

Acessórios vendidos separadamente (e benefícios “trancados”)

Embora a aquisição de acessórios para recarregar vários aparelhos por indução seja uma vantagem, é preciso lembrar que você terá que, bem, comprar ditos acessórios que carreguem sem fio. E eles não são muito baratos, embora sejam populares: uma busca rápida pelos modelos mais simples listam preços a partir de R$ 70, em média.

Outro problema trazido por isso é o isolamento das maiores vantagens em propriedades intelectuais. É mais fácil explicar por meio de exemplos: a Apple mantém a capacidade de 15 watts (W) para recarga por indução via acessórios originais da empresa (a linha MagSafe que mencionamos mais acima). Embora a empresa aceite suportar produtos de outras marcas e companhias, caso você prefira um modelo terceirizado, essa potência de recarga é reduzida pelo menos à metade.

No caso de empresas como Apple ou Samsung, sabemos como isso pode ser complicado, já que o valor de acessórios originais de fabricantes tende a ser várias vezes mais alto que marcas menos conhecidas. Em outras palavras: se quiser tirar benefícios plenos, terá que gastar mais dinheiro.

5 aparelhos com recarga sem fio

Confira alguns dos modelos disponíveis no mercado que já oferecem carregamento sem fio:

iPhone 15

A Apple implementou a tecnologia MagSafe em seus smartphones em outubro de 2020, ano em que a fabricante californiana lançou o iPhone 12. Desde então, todas as iterações do principal produto da empresa contam com a tecnologia, que vêm melhorando sua capacidade a cada ano, tornando-se mais estável e mais inteligente.

Atualmente, o iPhone 15 é o aparelho mais recente a contar com o recurso, e é quase certo que a Apple vá levar a função ao iPhone 16, esperado para o segundo semestre de 2024.

Samsung Galaxy S24

O aparelho mais recente da Samsung também traz a recarga por indução, suportando tanto carregadores proprietários (vendidos separadamente) e de terceiros. O ponto de atenção é que, ao contrário da Apple, nem toda a família Galaxy de produtos conta com o benefício.

Normalmente, a fabricante sul-coreana reserva a recarga por indução para seus aparelhos mais “linha de frente”: Galaxy S e os smartphones dobráveis (veja mais abaixo) certamente trazem o benefício em sua totalidade – todas as versões de cada aparelho o têm.

Entretanto, linhas como a Galaxy A trabalham somente com a recarga cabeada, sem suporte à função de indução.

Motorola Edge 40

Assim como suas principais concorrentes, a Motorola também introduziu a recarga por indução no Edge 40, oferecendo 15 W de potência para recarga em acessórios originais. Nesta parte, a Motorola tem até soluções que aceleram o processo de recarga, com um carregador sem fio trazendo potência de 50 W…por aproximadamente R$ 250.

Xiaomi 13

Uma das mais populares marcas chinesas, a Xiaomi é uma das pioneiras na oferta de recarga por indução e, com o Xiaomi 13 (e o recém-anunciado Xiaomi 14), não seria diferente: o principal smartphone da fabricante asiática vem com suporte à recarga por indução a 30 W de capacidade, sendo a empresa com maior velocidade de recarga desta lista.

Galaxy Z Flip5 5G e Galazy Z Fold5 5G

Na linha de smartphones de tela dobrável, a Samsung volta à lista com o Z Flip5, com sua capacidade de recarga por indução a 12 W. Seu irmão maior, o Z Fold5, também conta com o recurso – até um pouquinho mais de capacidade, trabalhando a 15 W de potência.

Leia também

Acompanhe tudo sobre:Smartphones

Mais de Tecnologia

União Europeia prepara novas acusações antitruste contra Microsoft

Apple pode ter primeira greve de sua história com funcionários do varejo

Professores gerados por inteligência artificial dão aulas em universidade de Hong Kong

Executiva da Baidu faz publicação polêmica no TikTok e pede demissão logo depois

Mais na Exame