Em anúncio de jornal, Facebook critica política de privacidade da Apple

Fabricante do iPhone planeja implementar função que bloqueia coleta de informações pessoais a partir de 2021.

O Facebook criticou publicamente a decisão da Apple de dar aos usuários a opção de impedir aplicativos de coletar informações dos usuários.

A empresa de Mark Zuckerberg publicou, nesta quarta-feira, 16, um anúncio em jornais de grande circulação nos Estados Unidos, como Washington Post e New York Times, com informações contrárias ao plano da Apple de dar maior controle aos usuários e impedir a coleta de informações.

No texto, o Facebook se coloca "ao lado dos pequenos negócios", que afirma usarem as ferramentas de publicidade direcionada da empresa para atrair consumidores e aumentarem suas vendas. "Enquanto limitam como publicidade personalizada pode afetar grandes empresas, como nós, essas mudanças serão devastadoras para pequenos negócios, somando-se aos desafios que já enfrentam", disse o Facebook no anúncio.

A empresa citou ainda alguns dados, da consultoria Deloitte, para promover seu ponto, afirmando que 44% das pequenas empresas iniciaram ou aumentaram gastos com publicidade personalizada durante a pandemia.

Não é a primeira vez que a empresa toma atitudes públicas contra a nova atualização dos sistemas operacionais da Apple. O Facebook já tinha feito uma reclamação semelhante em um blog de desenvolvedores, em agosto. Na ocasião, a rede social alegou que a novidade tornaria difícil entregar publicidade direcionada para usuários do iOS — o sistema operacional dos iPhones.

A Apple ainda não disponibilizou a atualização que permite que os usuários controlem quais dados são coletados ou bloqueiem o acesso de desenvolvedores a alguns deles: isso é algo que deve ficar apenas para 2021. Na segunda-feira, 14, a Apple começou a divulgar tarjas com informações que são coletadas pelos aplicativos, uma promessa que a empresa havia feito em junho deste ano, em sua conferência de desenvolvedores.

A funcionalidade originalmente estava prevista para quando a Apple disponibilizou o iOS 14, em setembro, mas foi adiada para conceder um período de adaptação à comunidade de desenvolvedores.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também