Consumidores buscam mais produtos conectados, diz pesquisa da Samsung

Os dispositivos eletrônicos que têm recursos conectados atraíram mais o consumidor nesta Black Friday
 (Samsung/Divulgação)
(Samsung/Divulgação)
Por Lucas AgrelaPublicado em 28/11/2020 12:40 | Última atualização em 28/11/2020 12:40Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O ano de 2020 trouxe um impulso para a tendência de casa conectada. Um novo levantamento feito pela Samsung junto com a empresa de pesquisas brasileira MindMiners mostra que dois a cada três consumidores (65,3%) consideram a conectividade como um dos fatores decisivos no ato da compra. O estudo ajuda a traçar o perfil do consumidor que fez compras na Black Friday deste ano.

Quer saber como a inovação pode ajudar seu negócio? Faça o curso Inovação na Prática

Entre as pessoas que escolhem produtos pela conectividade, 40,4% entendem que ela ajuda a criar uma rotina mais versátil devido à integração de diferentes eletrônicos; 35,7% escolhem tais produtos por considerar que são os mais modernos da atualidade; e 23,9% optam por esses aparelhos conectados por se dizerem apaixonados por tecnologia.

“Os dados reunidos pela pesquisa reforçam o crescimento do conceito de Connected Living e a importância da integração entre produtos. A conectividade é vital para unir e empoderar as pessoas, que hoje podem usar até mesmo uma TV para controlar máquinas de lavar e secar, geladeiras e robôs de limpeza. A criação de um ecossistema de produtos conectados ajuda o consumidor a otimizar sua rotina e tornar mais prazerosas as tarefas profissionais, domésticas e de lazer”, afirma Patricia Pessoa, diretora de marketing da divisão de Consumer Electronics da Samsung Brasil, área que abrange TVs, condicionadores de ar, lavadoras, aspiradores-robô e geladeiras -- todos aparelhos com recursos de conectividade. 

A Black Friday tem ganhado mais a confiança dos consumidores brasileiros. Segundo outra pesquisa também feita pela Samsung com a MindMiners, 70,3% dos consumidores consultados disseram que confiam nos descontos anunciados por marcas e lojas durante a data de promoções. Para 55,7% dos entrevistados, a jornada de compras começa, ao menos, um mês antes da Black Friday. Apenas 7,7% dizem que não realizam pesquisa alguma de preços antes de comprar um produto na data.

A opinião positiva sobre a Black Friday também é dada por Fernando Gambôa, sócio-líder de consumo e varejo da consultoria KPMG no Brasil e na América do Sul, que participou do episódio mais recente do podcast Exame Tech. Ouça-o a seguir.