Tecnologia

AstraZeneca admite efeito colateral raro da vacina contra covid-19

Empresa é alvo de uma ação coletiva na Inglaterra

Publicado em 30 de abril de 2024 às 09h18.

Última atualização em 29 de maio de 2024 às 15h58.

Pela primeira vez, a farmacêutica AstraZeneca admitiu à Justiça que sua vacina contra a Covid-19 pode acarretar um 'efeito colateral raro'. De acordo com o jornal The Telegraph, a empresa é alvo de uma ação coletiva em que 51 famílias pedem uma indenização equivalente a até aproximadamente 700 milhões de reais.

O processo foi movido por pessoas que desenvolveram trombose após serem vacinadas na Inglaterra. A farmacêutica reconheceu que a vacina 'pode, em casos muito raros, causar síndrome de trombose com trombocitopenia (TTS)', condição caracterizada pela formação de coágulos que aumentam os riscos de entupimento de vasos sanguíneos.

'O mecanismo causal não é conhecido', afirmou a empresa. 'Além disso, a TTS também pode ocorrer na ausência da vacina AZ (ou de qualquer vacina). A causalidade em qualquer caso individual será matéria para prova pericial', declarou, em uma carta enviada no ano passado ao advogado de um dos requerentes.

AstraZeneca no Brasil

No Brasil, a vacina foi aplicada em cerca de 153 milhões de pessoas.

'Os eventos adversos, inerentes a qualquer medicamento ou imunizante, são raros e ocorrem, em média, um a cada 100 mil doses aplicadas, apresentando risco significantemente inferior ao de complicações causadas pela infecção da Covid-19', informou o Ministério da Saúde em comunicado emitido em 2023.

Acompanhe tudo sobre:AstraZenecaCoronavírus

Mais de Tecnologia

Você sabe o que é telemática? Tecnologia reduziu em 40% as taxas de colisões em estradas, diz estudo

Instagram está implementando 'live' apenas para melhores amigos

Vício em TikTok? O que é 'brainrot' e por que o termo está tão em alta

Mais 168 cidades podem ter internet 5G a partir de sexta-feira; veja a lista

Mais na Exame