Brasil

Pela primeira vez desde a pandemia, saúde é a principal preocupação dos brasileiros, revela estudo

Resultado pode estar associado à crise de dengue, que já matou mais de 1,8 mil pessoas e se aproxima dos 4 milhões de casos prováveis no país só em 2024

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 29 de abril de 2024 às 16h12.

Última atualização em 29 de abril de 2024 às 17h22.

Tudo sobreSaúde
Saiba mais

A saúde pública superou crime e violência e se tornou a principal preocupação entre os brasileiros. É o que indica novo levantamento realizado pelo Instituto Ipsos, empresa multinacional que realiza pesquisas de opinião pública e divulgado na última semana. Esse cenário não acontecia desde a pandemia de covid-19.

A pesquisa, chamada What Worries the World? (que pode ser traduzido do inglês como "O que preocupa o mundo?"), questiona todos os meses aproximadamente mil pessoas de 29 países, de variadas idades, sobre as suas principais preocupações em relação ao seu país.

Planos de saúde coletivo terão aumento de 14% em terceiro ano de alta; veja as maiores taxas

Por meio de um painel digital, os participantes selecionam os três tópicos que consideram mais preocupantes naquele momento, entre os quais estão: saúde pública; crime e violência; educação; inflação, corrupção financeira/política; pobreza e desigualdade social; impostos; mudança climática; terrorismo e outros.

No Brasil

Em relação ao brasileiros, o último levantamento, realizado de 22 de março a 5 de abril de 2024, mostrou a saúde pública como a principal preocupação, de acordo com 42% dos participantes. Trata-se de um crescimento de mais de 5 pontos percentuais em relação ao mês de março, o que deixa a saúde num patamar de preocupação só atingido durante a pandemia de covid-19.

Segundo o CEO do Instituto, Marcos Calliari, esse resultado pode estar associado à crise de dengue, que já matou mais de 1,8 mil pessoas e se aproxima dos 4 milhões de casos prováveis no país só em 2024, de acordo com Ministério da Saúde. Vale destacar que o número de casos já é o dobro do registrado em todo 2023.

Além disso, o registro de um caso de cólera na Bahia há cerca de dez dias, após 18 anos sem nenhum caso ser registrado no país, acendeu um alerta, segundo Calliari.

Com isso, a preocupação com a saúde pública ultrapassou por pouco a com crime e a violência, que foi apontada como sendo a principal preocupação por 41% dos brasileiros participantes. Em seguida, veio a preocupação com a pobreza e desigualdade social, citada por 37% dos entrevistados.

Vale destacar que, na perspectiva global, a saúde pública foi apenas o sexto tópico de maior preocupação, escolhida por 23% dos entrevistados. Em primeiro lugar, pelo 25° mês seguido, está a inflação (34%), seguida por pobreza e desigualdade social (30%), crime e violência (30%), desemprego (27%) e corrupção política/financeira (26%).

O seu país está indo no rumo certo?

Além das principais preocupações sobre os países, a pesquisa questionou as pessoas também se elas acreditam que, de forma geral, o país em que vivem está indo no caminho certo ou não.

No Brasil, a maioria (53%) disse não acreditar que o país está na direção certa, o que só havia acontecido anteriormente em dezembro de 2023, quando o patamar de insatisfação foi de 51%. Na contramão, 47% disseram que veem o país indo na direção correta, uma queda de 4 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

Em âmbito global, a perspectiva geral também é negativa, com 62% da população acreditando que os seus respectivos países estão caminhando na direção errada.

Acompanhe tudo sobre:Saúde no BrasilCoronavírusPandemia

Mais de Brasil

Manifestantes voltam à Avenida Paulista para ato contra o PL do Aborto

Greve nas universidades federais: o que reivindicam os professores e quais são as ofertas do governo

Enel confirma a Lula investimento de R$ 20 bi para acabar com apagões

Enchentes paralisaram 63% das indústrias gaúchas, revela pesquisa

Mais na Exame