• AALR3 R$ 19,68 -0.35
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,49 -0.30
  • ABEV3 R$ 14,83 1.99
  • AERI3 R$ 4,03 7.47
  • AESB3 R$ 10,79 1.41
  • AGRO3 R$ 31,49 -1.78
  • ALPA4 R$ 22,12 1.47
  • ALSO3 R$ 19,76 0.36
  • ALUP11 R$ 26,23 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,32 4.04
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,88 3.60
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,58 3.72
  • ARZZ3 R$ 82,17 -0.39
  • ASAI3 R$ 15,30 -1.16
  • AZUL4 R$ 21,33 3.14
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,68 -0.35
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,49 -0.30
  • ABEV3 R$ 14,83 1.99
  • AERI3 R$ 4,03 7.47
  • AESB3 R$ 10,79 1.41
  • AGRO3 R$ 31,49 -1.78
  • ALPA4 R$ 22,12 1.47
  • ALSO3 R$ 19,76 0.36
  • ALUP11 R$ 26,23 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,32 4.04
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,88 3.60
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,58 3.72
  • ARZZ3 R$ 82,17 -0.39
  • ASAI3 R$ 15,30 -1.16
  • AZUL4 R$ 21,33 3.14
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Aglomerador de filmes piratas, aplicativo Popcorn Time é encerrado

Por muitos anos o serviço se desvencilhou do encalço das empresas de streaming, mas chegou o dia de dar tchau à ''Netflix pirata"
 (Getty Images/Future Publishing)
(Getty Images/Future Publishing)
Por André LopesPublicado em 06/01/2022 16:59 | Última atualização em 06/01/2022 17:25Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A indústria do cinema já abandonou as investidas mais pesadas e caras contra os arquivos torrents que compartilham filmes e séries de forma ilegal. A aposta é que, com a comodidade dos serviços de streaming, seja irrisório o número de espectadores que topem se arriscar em sites obscuros em busca de um arquivo de boa qualidade do conteúdo.

No entanto, havia um último soldado do lado inimigo que se mantinha em pé nessa peleia: o app Popcorn Time, que fez sucesso ao simplificar o processo de assistir filmes pirateados ao unir todo o conteúdo, igual ao Netflix e outros streamings, mas de forma gratuita e ilegal.

Mas, segundo a Bloomberg, o serviço foi encerrado nesta quinta-feira, 6, e parte da culpa deste fim pode ser da Netflix, que demonstrava preocupação com o aplicativo, considerando a pirataria um de seus maiores concorrentes.

Em seu site, o aplicativo traz dados que mostram que ele desfrutou de alta popularidade em 2014 e 2015, mas sofreu uma queda de interesse e procura a partir de 2017 e, desde então, não conseguiu mais recuperar a sua popularidade.

Em favor do app está o fato de que ele é desenvolvido em código aberto, facilitando que qualquer pessoa possa colocar o site de volta no ar, e assim deixando essa baixa como só mais um episódio da batalha contra a pirataria.