• AALR3 R$ 20,19 0.10
  • AAPL34 R$ 67,41 0.07
  • ABCB4 R$ 16,66 0.85
  • ABEV3 R$ 14,09 0.36
  • AERI3 R$ 3,58 0.28
  • AESB3 R$ 10,88 0.37
  • AGRO3 R$ 31,17 -0.03
  • ALPA4 R$ 21,51 1.03
  • ALSO3 R$ 19,08 0.42
  • ALUP11 R$ 27,03 -0.15
  • AMAR3 R$ 2,55 0.39
  • AMBP3 R$ 31,85 2.44
  • AMER3 R$ 21,83 -0.27
  • AMZO34 R$ 3,40 4.17
  • ANIM3 R$ 5,45 -0.37
  • ARZZ3 R$ 80,82 1.71
  • ASAI3 R$ 15,92 1.27
  • AZUL4 R$ 20,30 1.15
  • B3SA3 R$ 12,02 0.92
  • BBAS3 R$ 37,73 0.43
  • AALR3 R$ 20,19 0.10
  • AAPL34 R$ 67,41 0.07
  • ABCB4 R$ 16,66 0.85
  • ABEV3 R$ 14,09 0.36
  • AERI3 R$ 3,58 0.28
  • AESB3 R$ 10,88 0.37
  • AGRO3 R$ 31,17 -0.03
  • ALPA4 R$ 21,51 1.03
  • ALSO3 R$ 19,08 0.42
  • ALUP11 R$ 27,03 -0.15
  • AMAR3 R$ 2,55 0.39
  • AMBP3 R$ 31,85 2.44
  • AMER3 R$ 21,83 -0.27
  • AMZO34 R$ 3,40 4.17
  • ANIM3 R$ 5,45 -0.37
  • ARZZ3 R$ 80,82 1.71
  • ASAI3 R$ 15,92 1.27
  • AZUL4 R$ 20,30 1.15
  • B3SA3 R$ 12,02 0.92
  • BBAS3 R$ 37,73 0.43
Abra sua conta no BTG

O pedido demorou demais no restaurante. Posso não pagar?

Veja o que fazer nessa e em outras situações de práticas abusivas comuns
 (Thinkstock/djedzura)
(Thinkstock/djedzura)
Por Júlia LewgoyPublicado em 25/05/2017 05:00 | Última atualização em 25/05/2017 05:00Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo -  Não é só criança. Você também fica bravo quando está roxo de fome e nada do prato chegar no restaurante. Já reclamou e não adiantou? Saiba que tem todo o direito de ir embora se o seu pedido demorar demais para chegar.

Você só é responsável por pagar o que consumiu. Se o prato ainda não veio, mesmo depois de questionar o garçom, você pode ir embora sem pagar, segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Se o pedido está lento, é de bom tom perguntar para o garçom quanto tempo ainda vai demorar, como orienta o advogado do Idec Igor Marchetti. Se a preparação de um prato específico for mais lenta, o atendente precisa avisar antes.

Só vá embora sem pagar se o prato demorar mais do que o prometido e, é claro, se optar por não consumi-lo. “Explique com calma, sem brigar, que você foi mal informado sobre o tempo de espera e que a prestação do serviço não foi cumprida, por isso está indo embora”, orienta o advogado.

Outras práticas abusivas

Essa é uma entre várias práticas abusivas comuns em restaurantes. Os estabelecimentos não podem, por exemplo, se negar a dividir um prato entre duas pessoas, nem cobrar taxa por desperdício.

“Nesse caso, o restaurante pode adotar alguma política de incentivo para quem não desperdiçar, mas não cobrar por algo que o consumidor já pagou”, explica o advogado do Idec.

Se a comida vier com cabelo, bicho, sabor ou cheiro estranho, o consumidor pode exigir um novo prato ou se recusar a pagar, não importa a quantidade já consumida. Nesse caso, além de reclamar no estabelecimento ou nas redes sociais, é importante formalizar a denúncia no órgão de vigilância sanitária do município.

Em pizzarias, depois que o Procon vetou a cobrança de pizza de dois sabores com preço da mais cara, o Idec passou a recomendar que os consumidores exijam a cobrança proporcional do valor. No entanto, cada estabelecimento é livre para determinar o seu preço.