Zé Celso: dramaturgo tinha briga judicial de 40 anos com Silvio Santos

Fundador do Teatro Oficina, que faleceu na manhã desta quinta-feira, 6, casou-se no mês passado e tinha feito um último pedido ao apresentador

Silvio Santos e Zé Celso: briga judicial acontece há 43 anos.  (TV Folha/Reprodução)

Silvio Santos e Zé Celso: briga judicial acontece há 43 anos. (TV Folha/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 6 de julho de 2023 às 10h57.

Última atualização em 6 de julho de 2023 às 11h11.

Desde 1958, quando foi inaugurado, o Teatro Oficina aposta na ideia disruptiva de quebrar as barreiras entre público e atores, palco e rua e racional e o imaginário. Quem vai assistir uma peça no Oficina, tem a experiência de ver a cidade a partir das enormes janelas que usam São Paulo como plano de fundo. Não só a cidade, mas como também o terreno vazio ao lado do teatro, que hoje é usado como estacionamento mas faz parte de uma briga judicial de mais de 40 anos.

Localizado no bairro do Bixiga, entre as ruas Abolição, Jaceguai, Japurá e Santo Amaro, o terreno foi comprado por Silvio Santos em 1980, e, pelos planos do apresentador, deveria ser transformado em um prédio de mais de cem metros de altura. Porém, Zé Celso, dramaturgo e fundador do Oficina, entrou na Justiça para barrar a construção dos mais de mil apartamentos que o apresentador pretendia construir, como parte dos empreedimentos do Grupo Silvio Santos.

A briga judicial ganhou destaque após João Doria, quando ainda era prefeito de SP, convidar Zé e Silvio para terem uma conversa, pessoalmente, sobre o assunto. Na ocasião, Silvio não levou a discussão a sério e chegou a cogitar levar a Cracolândia para o local.

yt thumbnail

Porém, a briga não é apenas pela construção do prédio. As obras no local poderiam atingir tanto o rio que corre abaixo do terreno como também o lençol freático, que está a apenas quatro metros do chão. Tanto que, em 2021, por conta destes fatores, um decisão judicial barrou a construção do prédio, já que o prédio poderia causar "danos ambientais e danos ao patrimônio histórico", já que o terreno é redeado por áreas tombadas — inclusive o Oficina, que é considerado Patrimônio Histórico desde 2010. Diversos protestos foram organizados em frente ao terreno, com performances teatrais e reivindicações por preservação do espaço para a arte e a cultura.

Por outro lado, Silvio Santos argumenta que a construção do complexo imobiliário traria benefícios econômicos significativos para a região e para a cidade como um todo. Ele afirma que seu projeto criaria empregos, atrairia investimentos e contribuiria para a revitalização do centro de São Paulo. O empresário também defende que sua proposta está em conformidade com as regulamentações urbanísticas e que a iniciativa é uma oportunidade única de desenvolvimento.

Último pedido

No mês passado, o dramaturgo casou-se com o ator Marcelo Drummond em uma cerimônia realizada no prórpio teatro. Zé chegou a convidar Silvio para o casamento, e pediu de presente a doação do terreno para o teatro. O apresentador não chegou a responder o pedido.

Na ocasião, Zé ganhou de Fernanda Montenegro e Fernanda Torres um ipê, o qual pretendia plantar no terreno em disputa. O dramaturgo foi surpreendido após receber uma intimação judicial que proibia plantar a árvore no terreneno, com possibilidade de multa de 200 mil reais.

Zé Celso faleceu na manhã desta quinta-feira, 6, após ser internado no Hospital das Clínicas, com mais de 50% do corpo queimado. O acidente ocorreu após um incêndio no apartamento do dramaturgo, que fica no bairro do Paraíso, em SP. O incêndio foi causado por uma falha no aquecedor do apartamento.

Mais de Pop

Dia Mundial do Livro: 10 frases de obras marcantes da literatura

Dia de São Jorge é feriado? Conheça a história do santo e saiba a origem da data

Davi ganha homenagem em telão da Times Square; veja

'Bridgerton': elenco da 3ª temporada fará turnê mundial, com passagem pelo Brasil

Mais na Exame