Starbucks pede mais investimento em pequenos negócios e vacinas

A companhia cobra o governo americano e o presidente eleito, Joe Biden, para que haja mais estímulos aos pequenos negócios do país durante a pandemia

A Starbucks pede que o presidente eleito dos EUA, Joe Biden, juntamente com outras empresas, invistam em negócios de pessoas não brancas que foram atingidas pela pandemia, especialmente na fabricação local.

“Elas precisam de ajuda, e precisam de ajuda na forma de investimentos”, disse a diretora de operações da Starbucks, Roz Brewer, em entrevista à Bloomberg Television na terça-feira, 12, quando a empresa anunciou 100 milhões de dólares até 2025 para apoiar pequenas empresas e projetos de desenvolvimento em comunidades com diversidade. “Não se trata de tentar aumentar nossos lucros. Tem a ver com os clientes que chegam às nossas lojas. Nossos clientes também são proprietários de pequenas empresas.”

Muitas pequenas empresas, atingidas em todos os Estados Unidos após quase um ano da pandemia de covid-19, tiveram que contar com o setor privado enquanto esperaram meses por estímulos. Os níveis de investimento em empresas controladas por negros e outras minorias caíram para mínimas históricas, e agora esses negócios correm maior risco de falência, disse Brewer. Mas mesmo companhias grandes e bem financiadas, como a Starbucks, ainda trabalham para voltar à normalidade. As vendas sob o critério mesmas lojas da rede, ou abertas há pelo menos 12 meses, caíram 9% nos EUA no último trimestre.

Brewer disse que os setores público e privado devem se unir para ajudar não apenas pequenas empresas, mas também para acelerar a vacinação contra o coronavírus.

“Um pouco devagar”

“Terei que ser honesta com você: realmente acredito que está um pouco devagar”, disse Brewer sobre o ritmo de distribuição das vacinas. “Essa é mais uma oportunidade para o público e o privado se unirem. Existem algumas empresas que atuam muito bem neste espaço e podem ajudar na execução.”

O investimento da empresa em comunidades de minorias se concentrará inicialmente em 12 áreas metropolitanas dos Estados Unidos, incluindo Nova Orleans, Mineápolis e Atlanta. Para a diversidade no local de trabalho, a Starbucks estabeleceu uma meta de empregar 30% de pessoas não brancas em todos os níveis corporativos e 40% em todos os empregos de varejo e manufatura até 2025. Atualmente, a força de trabalho da empresa está abaixo das metas para a maioria dos cargos nessas áreas.

A Starbucks tem trabalhado para expandir iniciativas de diversidade desde que dois homens negros foram presos em um café de Filadélfia em 2018, o que afetou a imagem da empresa de compromisso com a justiça social.

Biden deve divulgar suas propostas – o valor ainda não foi divulgado – até o final desta semana. O pacote contará com apoio para autoridades estaduais e locais, aumento dos pagamentos diretos para 2.000 dólares e maiores benefícios de desemprego, juntamente com financiamento para distribuição de vacinas, reabertura de escolas, créditos fiscais, redução de aluguel e ajuda para pequenas empresas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.