• AALR3 R$ 19,74 -0.05
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,50 -0.24
  • ABEV3 R$ 14,70 1.10
  • AERI3 R$ 4,23 12.80
  • AESB3 R$ 10,84 1.88
  • AGRO3 R$ 31,63 -1.34
  • ALPA4 R$ 21,89 0.41
  • ALSO3 R$ 19,83 0.71
  • ALUP11 R$ 26,30 0.19
  • AMAR3 R$ 2,35 5.38
  • AMBP3 R$ 29,64 -0.37
  • AMER3 R$ 23,83 3.38
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,59 3.90
  • ARZZ3 R$ 82,50 0.01
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,22 2.61
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,74 -0.05
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,50 -0.24
  • ABEV3 R$ 14,70 1.10
  • AERI3 R$ 4,23 12.80
  • AESB3 R$ 10,84 1.88
  • AGRO3 R$ 31,63 -1.34
  • ALPA4 R$ 21,89 0.41
  • ALSO3 R$ 19,83 0.71
  • ALUP11 R$ 26,30 0.19
  • AMAR3 R$ 2,35 5.38
  • AMBP3 R$ 29,64 -0.37
  • AMER3 R$ 23,83 3.38
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,59 3.90
  • ARZZ3 R$ 82,50 0.01
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,22 2.61
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Sebrae oferece mais de 100 cursos de graça para MEIs

O Sebrae de São Paulo terá 50 mil vagas nos próximos 12 meses para os empreendedores que faturam até 60 mil reais no ano.

	Estudos: os cursos oferecidos pelo Super MEI custariam entre 300 e 1 000 reais caso fossem feitos de forma paga
 (Thinkstock)
Estudos: os cursos oferecidos pelo Super MEI custariam entre 300 e 1 000 reais caso fossem feitos de forma paga (Thinkstock)
Por Mariana FonsecaPublicado em 17/08/2016 10:23 | Última atualização em 17/08/2016 10:23Tempo de Leitura: 21 min de leitura

São Paulo – O estado de São Paulo possui 1,6 milhão de microempreendedores individuais, segundo o Sebrae-SP: donos de negócios que faturam até 60 mil reais no ano.

Diante de tantos empreendedores, a instituição irá oferecer cursos presenciais e gratuitos para que eles possam se aprimorar e fazer seus negócios crescerem.

O programa, chamado Super MEI, disponibilizará 50 mil vagas para os microempreendedores individuais do Estado de São Paulo nos próximos doze meses. 

O Sebrae ressalta que, além de ajudar o empreendedor a enfrentar o atual momento de recessão econômica de maneira mais competitiva, os cursos também são uma oportunidade para as pessoas que estão desempregadas e procuram um reposicionamento no mercado.

Como funciona?

O primeiro passo do Super MEI é a regularização: o microempreendedor que participa da capacitação deverá se regularizar, se ainda não o tiver feito.

Depois da formalização, o MEI faz oito horas de curso de gestão comercial e financeiro. Preparando-se nos conceitos básicos de administração, ele já pode passar de 20 a 50 horas fazendo uma capacitação técnica no Senac e no Centro Paula Souza.

São 160 cursos técnicos diferentes, em 18 segmentos de atuação. É possível, por exemplo, aprender a ser açougueiro, barman, cabelereiro, decorador de festas, depilador, gesseiro, panificador e vendedor porta a porta. Toda a capacitação é gratuita e gera um certificado de conclusão.

Quem participar do Super MEI também poderá acessar um portal para divulgar seus produtos e serviços após completar as aulas. Os cursos serão ministrados preferencialmente no período noturno, para permitir que o empreendedor possa desenvolver suas atividades durante o dia.

De acordo com a instituição, os cursos oferecidos pelo Super MEI custariam entre 300 e 1 000 reais caso fossem feitos de forma paga. O investimento total do Sebrae-SP nesta iniciativa é de 25 milhões de reais.

Como se inscrever?

As inscrições para o Super MEI podem ser feitas pelo site do Super MEI, pela Central de Atendimento do Sebrae (0800 570 0800) e nos Escritórios Regionais do Sebrae-SP.

O empreendedor deve assinalar a área de interesse a partir das opções oferecidas em sua região. A partir da demanda, o Sebrae-SP vai convocar os inscritos para formar turmas de 16 a 20 pessoas. O conteúdo programático dos cursos está disponível no site.

Para participar, a única exigência para a maioria dos cursos é que o interessado seja um MEI. Para alguns tópicos específicos, como fotografia e produção musical, é importante ter um conhecimento prévio no tema. Após finalizar uma capacitação, o empreendedor deve aguardar seis meses para se inscrever em outro tema.