“Negociação de contratos deve ser amigável”, diz professor da Dom Cabral

Em webinar organizado por EXAME, professor Eduardo Menicucci sugere alternativas para as pequenas empresas durante a crise do coronavírus

O novo coronavírus afetou o fluxo de caixa das empresas. Com os negócios fechados por causa da pandemia, é difícil para muitos empreendedores encontrar uma maneira de manter o faturamento. Para ajudar as pequenas e médias empresas nesse momento de crise, EXAME convidou o professor Eduardo Menicucci, especialista em finanças empresariais da Fundação Dom Cabral, a fazer um webinar explicando como se organizar durante a crise.

O professor apresenta um Manual de Sobrevivência para PMEs. Ao longo da explicação, ele aborda temas como manutenção da liquidez dos negócios, negociação com fornecedores e importância de ter acesso a capital de giro com as instituições financeiras. 

Liquidez é a chave

“Não tem como prever como estará o país no final do ano, então a gente tem que ir vivendo dia após dia, semana após semana, sempre buscando soluções que nos permitam sobreviver”, diz o professor. Por isso, ele recomenda que as empresas preservem a liquidez em um horizonte de prazo mais curto. 

Para ele, o grande objetivo é equilibrar a balança para poder negociar da melhor forma possível com fornecedores e clientes. “A gente compra, adquire alguma matéria prima, insumo. Por outro lado, a gente tem nossos clientes. Nesse momento, é importante tomar várias medidas para conseguir equacionar de forma amigável todas as nossas pontas”, afirma. 

Menicucci recomenda que as empresas renegociem seus contratos, mas de forma amigável e sempre por escrito, guardando os registros da comunicação. No final da crise, será melhor para as pequenas empresas não ter rompido o relacionamento com seus fornecedores, afirma o professor.

Em relação a crédito, Menicucci indica que as empresas sejam honestas com o banco com que tem relacionamento na hora de buscar um empréstimo. Para o especialista, se o empresário pegar linha de crédito para resolver problemas momentâneos, sem perspectiva de como irá pagar lá na frente, ele só irá adiar o problema.

Ele reconhece que muitas empresas têm dificuldade para acessar linhas de crédito com instituições financeiras, mas afirma que é importante usar as novas linhas que estão sendo oferecidas pelo governo. “Aproveitem as benesses da postergação de pagamento, com prazos de carência maior”, diz. Para o futuro, o professor ressalta a importância de se manter um relacionamento de longo prazo com os bancos.

O webinar foi mediado por Fabiane Stefano, editora de macroeconomia da EXAME.

Veja o vídeo completo:

Veja os próximos debates online da série exame.talks

24 de abril, sexta-feira, 12h

Roberto Marques, CEO Global da Natura&Co
O consumo e o setor de beleza em tempos de crise
Com Gabriela Ruic e João Pedro Caleiro, jornalistas da EXAME
Veja no YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.