Como organizar uma liquidação no seu negócio

Falta de preparo durante uma queima de estoque e exposição ruim dos produtos da loja são alguns deslizes cometidos por empreendedores

As dicas para organizar uma liquidação e vender mesmo
Escrito por Marcelo Ortega, especialista em vendas

Na maioria das vezes, as liquidações são feitas com o objetivo de zerar o estoque da loja. Em outras, o objetivo é recuperar o volume de vendas esperado e não realizado num determinado momento.

O final do ano passado talvez resulte no segundo motivo, porque as pesquisas mostram que o varejo tem decréscimos em vendas em relação aos anos anteriores. É preciso, portanto organizar bem as ações promocionais para justificar o esforço de fazer uma liquidação, sem amargar prejuízo no fim.

Pouca adesão dos clientes às promoções são um dos riscos que os empreendedores correm. Vimos isso na Black Friday que aconteceu antes do Natal. O consumidor não acredita mais nas promoções.

Falta de preparo durante uma queima de estoque, exposição ruim dos produtos ou despreparo do vendedor em auxiliar o cliente na tomada de decisão são outros deslizes cometidos.

Excesso de descontos em produtos novos pode acarretar na perda de lucratividade do negócio. Normalmente, as liquidações não envolvem produtos de lançamento, afinal as novas coleções ainda são uma novidade e demandaram custos ainda não pagos de produção, estocagem, distribuição e venda.

O melhor meio de criar uma liquidação lucrativa para o cliente e também para quem a oferece, é estabelecer regras claras e dar aquilo que for de melhor em termos de custo e benefício. O cliente precisa perceber vantagens em comprar naquele momento, a oferta deve ser irresistível e a decisão precisa ser tomada.

Perde credibilidade quem faz liquidações com prazo limite para acabar e depois mantém produtos a preços parecidos com os daqueles que foram liquidados.

Vale lembrar que o povo adora liquidação, é um apelo fantástico para criar senso de urgência e funciona. Vale muito a pena criar esse diferencial da liquidação no começo do ano, no período de férias e queda do consumo pós-natal. O melhor marketing, sem contar mídia de massa, é a boa apresentação da loja, da vitrine e em especial, o cliente que sai satisfeito e conta para muitos outros.

Muitas empresas organizam suas liquidações com apoio de redes sociais e de vendas por e-commerce. É o século XXI e precisa ser considerado como um potente veículo de propaganda e transações comerciais.

O perigo está na tentativa de enganar o cliente, que é muito bem informado e conta hoje com sites e aplicativos que o ajudam a calcular preços, fazer pesquisas e medir se realmente o que você propõe é vantajoso.

Cuidado com estes aspectos e venda mais e melhor com liquidações bem organizadas. Sucesso!

Marcelo Ortega é especialista em vendas, palestrante e consultor empresarial.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.