Com crowdfunding, startup da indústria 4.0 capta R$ 1,1 milhão em 11 horas

A rodada de captação da startup Serall teve a participação de 170 investidores e foi liderada pelo banco de fomento do Rio Grande do Sul (Badesul)

Em apenas 11 horas, a startup brasileira Serall conseguiu um aporte de 1,1 milhão de reais em uma rodada de captação na plataforma de crowdfunding CapTable. A empresa ofereceu 10% de participação a 170 investidores e ao banco de fomento do Rio Grande do Sul (Badesul), que investiu sozinho 400.000 reais.  

Fundada em 2020 pelos pesquisadores Diana Finkler e Gustavo Stein, a Serall atua na indústria 4.0. A empresa usa nanomateriais para produzir vedações de borracha mais resistentes. Em um ano de operação, a startup conquistou clientes como Petrobras, Vale e Weg. 

As vedações da startup prometem reduzir o tempo e o custo que essas empresas têm hoje com manutenção e reposição de peças da operação. “Uma redução nesse tempo ocioso significaria ganhos de produtividade essenciais para este mercado, que normalmente trabalha com margens apertadas”, diz a cofundadora.

Para Paulo Deitos, presidente da CapTable, a captação em poucas horas é fruto do histórico da empreendedora, que pesquisa e desenvolve soluções na área desde 2009. Os grandes clientes validando a solução da startup também contribuem para a atração de investidores, segundo Deitos. “A Serall é uma empresa com um produto diferenciado, validado no mercado e ancorado por um banco de fomento. Tem um potencial enorme”, diz. 

Este é o primeiro investimento externo da startup. O crowdfunding foi escolhido para a captação, segundo a fundadora, para atrair especialistas que possam ajudar na estratégia de negócio da empresa. “A CapTable, com seus mais de 30.000 investidores, consegue nos ajudar com o conhecimento que a empresa precisa para crescer”, diz Finkler.

Com a captação, a startup vai investir na sua equipe de vendas para conquistar novos clientes nos próximos meses. A meta é elevar o faturamento de 800.000 reais em 2020 para 3,5 milhões em 2021. 

Segundo a fundadora, 50% do valor recebido será investido em novas contratações para os times de vendas e sucesso do cliente. A outra metade vai ser usada para a compra de matéria-prima, capital de giro e novas certificações técnicas. 

Nos próximos meses, a empresa vai investir também no mercado internacional. Este ano, realizou a primeira venda para a Colômbia e agora está abrindo de canais de distribuição em toda a América Latina.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.