Acompanhe:
seloNegócios

Walmart, Walgreens e CVS deverão pagar US$ 650 milhões por venda de opioides

Grandes farmácias dos EUA foram condenadas por seus papeis na crise dos opioides

Modo escuro

Continua após a publicidade
OxyCotin: Walmart, Walgreens e CVS deverão pagar US$ 650 milhões por venda de opioides (George Frey/Reuters)

OxyCotin: Walmart, Walgreens e CVS deverão pagar US$ 650 milhões por venda de opioides (George Frey/Reuters)

A
AFP

Publicado em 18 de agosto de 2022 às, 06h34.

Última atualização em 18 de agosto de 2022 às, 06h35.

As redes de farmácias Walmart, Walgreens e CVS foram condenadas nesta quarta-feira, 17, por um juiz de Ohio, a pagar US$ 650,6 milhões a dois condados desse estado do norte dos Estados Unidos por seu papel na crise dos opioides.

"Um juiz federal condenou [essas três empresas] a pagar US$ 650,6 milhões" aos condados de Lake e Trumbull, em Ohio, anunciou, em um comunicado, o escritório de advogados The Lanier Law Firm, que defendeu essas localidades.

 Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Essa quantia permitirá "financiar programas de educação e prevenção e reembolsar as agências e organizações pelos gastos incorridos para enfrentar a crise", acrescentou.

O Walmart anunciou em um comunicado sua intenção de recorrer da decisão, ao denunciar que se tratou de um processo "repleto de erros jurídicos e factuais".

As três redes varejistas nos Estados Unidos, que distribuíram maciçamente analgésicos a esses dois condados, foram consideradas culpadas em novembro do ano passado.

Os advogados dos dois condados de Ohio conseguiram convencer os jurados de que a presença maciça de opiáceos foi um problema público e que as farmácias participaram do mesmo, ignorando durante anos sinais de alerta sobre prescrições suspeitas.

Os responsáveis dos condados "queriam simplesmente ser compensados pelo peso de uma epidemia de drogas sustentada pela cobiça de empresas, pela negligência e a falta de responsabilidade destas redes farmacêuticas", comentou Mark Lanier, advogado das duas localidades, citado na nota.

LEIA TAMBÉM: Walmart (WALM34) registra alta de 17,9% no lucro do 2T22

As redes de farmácias, por sua vez, alegam que os farmacêuticos apenas respeitam as prescrições legais feitas por médicos, que receitam substâncias aprovadas pelas autoridades sanitárias.

Algumas partes concluíram acordos com os condados de Lake e Trumbull para pôr fim às demandas em troca de compensações financeiras. É o caso das redes de farmácias Rite Aid e Giant Eagle.

A crise sanitária que provocou mais de 500.000 mortes por overdose de opioides em 20 anos nos Estados Unidos levou a diversas ações judiciais.

A condenação de produtores de opiáceos com base nos problemas públicos também sofreu reveses, como na Califórnia e em Oklahoma.

No ano passado, CVS, Walgreens, Rite Aid e Walmart aceitaram desembolsar um total de 26 milhões de dólares a dois condados do estado de Nova York.

LEIA TAMBÉM: Maior rede de farmácias dos EUA registra patente para atuar no metaverso

Últimas Notícias

Ver mais
Família dona do Walmart vende US$ 1,5 bilhão em ações após papéis tocarem máxima histórica
seloMercados

Família dona do Walmart vende US$ 1,5 bilhão em ações após papéis tocarem máxima histórica

Há 3 dias

Por que este estado americano está reconsiderando legalizar certas drogas?
Mundo

Por que este estado americano está reconsiderando legalizar certas drogas?

Há uma semana

Breaking Bad da vida real? Homem é preso por relatar roubo em seu laboratório de metanfetamina
Pop

Breaking Bad da vida real? Homem é preso por relatar roubo em seu laboratório de metanfetamina

Há uma semana

Equador apreende 12 fuzis e cerca de 10 toneladas de drogas em megaoperação contra narcotraficantes
Mundo

Equador apreende 12 fuzis e cerca de 10 toneladas de drogas em megaoperação contra narcotraficantes

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais