Negócios

Votorantim tem prejuízo de R$3,4 bi no 1º trimestre

O resultado foi prejudicado por uma baixa de 485 milhões de dólares, com a redução da expectativa de caixa para uma mina de zinco no Peru

Votorantim: dívida líquida da empresa subiu 60%, encerrando março em 16,2 bilhões de reais (Germano Lüders/Exame)

Votorantim: dívida líquida da empresa subiu 60%, encerrando março em 16,2 bilhões de reais (Germano Lüders/Exame)

R

Reuters

Publicado em 21 de maio de 2020 às 09h57.

Última atualização em 21 de maio de 2020 às 10h07.

A Votorantim, uma das maiores holdings diversificadas do Brasil, registrou um prejuízo líquido de 3,4 bilhões de reais no primeiro trimestre, revertendo um lucro de 4,4 bilhões de reais um ano antes, uma vez que a desvalorização do real fez com que aumentassem os custos de serviço da dívida.

Os resultados do trimestre também foram atingidos por uma baixa contábil de 485 milhões de dólares, devido à redução das expectativas de geração de caixa para a mina de zinco Cerro Pasco da unidade Nexa Resources, no Peru, informou a Votorantim em comunicado.

A dívida líquida da Votorantim - grande parte denominada em dólares - subiu mais de 60%, encerrando março em 16,2 bilhões de reais. Isso equivale a 3,55 vezes o lucro ajustado antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), acima de um múltiplo de 1,95 em dezembro.

As unidades da holding Votorantim Cimentos e Nexa também decidiram sacar linhas de crédito rotativo totalizando 500 milhões de dólares. A Votorantim Cimentos usou os recursos para pagar antecipadamente títulos de divida externa e estender seus vencimentos de dívida. A Nexa, sediada em Luxemburgo, aumentou sua posição de caixa para ajudar a enfrentar a pandemia de coronavírus.

O diretor financeiro da Votorantim, Sergio Malacrida, disse que o índice de endividamento deve cair até o final do ano, já que um real mais fraco tenderá a favorecer a maior parte das vendas do grupo nos próximos trimestres. Ainda assim, ele se recusou a fornecer uma estimativa, pois as consequências do surto de vírus sobre a demanda permanecem incertas.

Ainda assim, as receitas do primeiro trimestre da Votorantim aumentaram 2% em relação ao ano anterior, para 6,8 bilhões de reais, com o aumento nas vendas de cimento e uma moeda brasileira mais fraca compensando os preços mais baixos do metal.

Malacrida disse que as operações no Peru e na Argentina, que foram parcialmente interrompidas no primeiro trimestre devido ao bloqueio relacionado ao coronavírus, estão sendo retomadas.

Acompanhe tudo sobre:BalançosVotorantim

Mais de Negócios

Ronaldo pode vender clube espanhol por um quarto do valor embolsado com o Cruzeiro

Mora no exterior e quer doar recurso ao RS? Agora é possível através destas instituições financeiras

Rivais do salmão: pescados da Amazônia ganham espaço em restaurantes badalados do eixo Rio-SP

"Não foi só chuva. Foi um dilúvio que muda até a geografia do RS", diz Pedro Bartelle, da Vulcabras

Mais na Exame