Acompanhe:
seloNegócios

Uma 'fit' do Nordeste: academia Selfit, de Pernambuco, fatura R$ 97 milhões e quer crescer 85% em 23

Aberta em 2012, a rede de academias de ginástica mira expansão em bairros populares ou em cidades do interior e está na fila para um IPO

Modo escuro

Continua após a publicidade
Fernando Menezes, CEO da Selfit: “Nossa meta é levar a rede Selfit para os lugares mais distantes do Brasil, principalmente para as regiões Norte e Nordeste" (Divulgação/Divulgação)

Fernando Menezes, CEO da Selfit: “Nossa meta é levar a rede Selfit para os lugares mais distantes do Brasil, principalmente para as regiões Norte e Nordeste" (Divulgação/Divulgação)

L
Leo Branco

Publicado em 9 de setembro de 2022 às, 12h04.

Última atualização em 13 de setembro de 2022 às, 15h20.

A rede de academias Selfit está com planos ambiciosos para os próximos meses. 

Até o fim de 2023, a meta é ampliar em 85% o número de unidades, chegando a um total de 130. 

A expansão vem na esteira do bom momento da empresa. Em 2021, a receita líquida da Selfit atingiu 97 milhões de reais, alta de 13% na comparação com 2020. Hoje, são 160.000 alunos.

"Já recuperamos o patamar pré-pandemia", diz o CEO Fernando Menezes.

Assine a newsletter EMPREENDA, a nova newsletter semanal da EXAME para quem faz acontecer nas empresas brasileiras

O que é a Selfit

Aberta em 2012, em Salvador, a Selfit é mais uma academia com 'fit' no nome.

Assim como a SmartFit, a maior do setor (são 1.121 unidades), e a BlueFit (102), a Selfit aposta no modelo 'low cost high value'.

Na prática, o modelo pressupõe academias sem fru-frus — esqueça as modalidades de ginástica com apelo a públicos muito específicos.

Em compensação, esse tipo de academia costuma ter aparelhos de ponta, uma manutenção eficiente dos equipamentos e preços bem mais em conta na comparação a uma academia tradicional.

A Selfit quer testar os limites do modelo low cost high value para torná-la a academia de preferência do público classe C.

Onde estão os negócios da Selfit

Desde a fundação, a rede tem focado os negócios nas regiões Norte e Nordeste

Mesmo nessas regiões, uma particularidade da Selfit é abrir academias em bairros periféricos ou cidades médias, onde há ainda menos competição das demais academias low price high value.

Atualmente sediada em Recife, a rede vem ampliando a presença geográfica no interior do Nordeste nos últimos meses, com a abertura de unidades em cidades inexploradas pela concorrência, como Serra Talhada e Garanhuns, ambas no interior pernambucano.

A expansão planejada para o ano que vem deve seguir a mesma toada. 

“Nossa meta é levar a rede Selfit para os lugares mais distantes do Brasil, principalmente para as regiões Norte e Nordeste", diz Menezes. 

Quais são os diferenciais

As mensalidades costumam ser inferiores aos das outras 'fits' — o preço inferior costuma estar na pauta dos executivos da Selfit.

Para oferecer preços mais baratos, a estratégia da Selfit é cortar curtos onde for possível e não abrir exceções.

As unidades foram abertas em pontos alugados em bairros periféricos, onde o valor do terreno é bem mais em conta. 

Em outra ponta, a rede investe em automação de processos. Um exemplo é o Self Digital, uma espécie de 'vídeo aula de ginástica'.

Funciona assim: ao chegar na unidade, o aluno retira um fone de ouvido bluetooth na recepção para acompanhar e seguir as orientações passadas pelos professores. 

O treino acontece em um espaço exclusivo com um  vídeo wall de ponta para os alunos acompanharem as aulas.

"Ao mesmo tempo, os fones garantem uma imersão na aula, apesar do ambiente ser integrado ao salão da academia", diz Menezes.

O espaço Self Digital tem 19 modalidades de treinos, entre eles: fortalecimento muscular, hiit e yoga. 

As vídeo aulas são ministradas por gente badalada no mundo fitness:

  • Thiago Pugliesi
  • Camila Sachs
  • Cris Kalyani
  • Rodrigo Lima
  • Lucas Gil (Mahamudra Brasil)
SELFIT_SELF_DIGITAL

Espaço Self Digital da Selfit: vídeo aulas com gente badalada do mundo fitness

Quando será o IPO

Essas modalidades estão no aplicativo Weburn, considerado o 'Netflix' da vida saudável, com treinos, dicas de alimentação, vídeo aulas e produtos nutricionais.

Em julho de 2021, a Selfit realizou um aporte na startup desenvolvedora do Weburn. Fundada em 2017, a startup tem mais de 400.000 usuários. 

Daqui para frente, há alguns desafios para o modelo. 

Boa parte da expansão deverá ser feita por franqueados — hoje, três unidades seguem o modelo de franquia.

Em 2015, já com cinco unidades, a empresa se associou ao fundo H.I.G. Capital, sediado em Miami e focado em equity em negócios de pequeno e médio porte. 

No Brasil, o H.I.G. tem participação em negócios de setores variados, como na calçadista Mr. Cat, na Bigsal, de nutrição animal, e na Nadir Figueiredo, de artigos para casa.

Em 14 de dezembro de 2021, a Selfit protocolou um pedido de IPO junto à CVM

A empresa quer listagem no Novo Mercado para oferta primária. 

O plano do IPO segue à espera de melhores condições de mercado, diz o CEO Fernando Menezes, e ocorre de forma paralela ao plano de expansão. 

VEJA TAMBÉM:

Empresa brasileira quer combater câncer com tecnologia high tech que vem do agro; entenda
Este empreendedor do Sul fatura R$ 1,9 bilhão com a venda de pneus — muitos deles pela internet
Empresário mineiro fatura R$ 400 milhões com sucata e marketing criativo nas redes

 

Últimas Notícias

Ver mais
40 franquias para empreender e faturar mais de R$1 milhão em 2024
seloNegócios

40 franquias para empreender e faturar mais de R$1 milhão em 2024

Há 8 horas

Internet ruim e apagão: os desafios da startup amapaense Tributei para criar um negócio de milhões
seloNegócios

Internet ruim e apagão: os desafios da startup amapaense Tributei para criar um negócio de milhões

Há 11 horas

Quem é o mineiro que investiu R$ 38 milhões em um parque de realidade virtual no interior de SP 
seloNegócios

Quem é o mineiro que investiu R$ 38 milhões em um parque de realidade virtual no interior de SP 

Há um dia

Mistura do Brasil com Taiwan: como eles transformaram uma bebida asiática em um negócio de R$ 30 mi
seloNegócios

Mistura do Brasil com Taiwan: como eles transformaram uma bebida asiática em um negócio de R$ 30 mi

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais