Negócios

UE deve aprovar fusão de Luxottica e Essilor sem restrições

Segundo fontes, fusão de 48 bilhões de euros deve receber aprovação antitruste do bloco

Ray-Ban: fusão deve criar uma empresa com produtos que variam desde Ray-Bans e armações Giorgio Armani (foto/Getty Images)

Ray-Ban: fusão deve criar uma empresa com produtos que variam desde Ray-Bans e armações Giorgio Armani (foto/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 14 de dezembro de 2017 às 14h56.

Bruxelas - A italiana Luxottica e o grupo francês de óculos Essilor devem receber a aprovação antitruste incondicional da União Europeia para a sua fusão de 48 bilhões de euros (56,8 bilhões de dólares), disseram duas pessoas familiarizadas com o assunto na quinta-feira.

O acordo entre a Luxottica, a maior fabricante de armações de óculos do mundo, e a Essilor, maior fabricante mundial de lentes, deve criar uma empresa com produtos que variam desde Ray-Bans e armações Giorgio Armani e terá uma grande rede de óticas.

A Comissão Europeia, que teve algumas preocupações iniciais sobre o mega acordo, não quis comentar. A Luxottica também se recusou a comentar.

No Brasil, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) declarou na semana passada "complexa" a operação internancional e solicitou uma análise econômica da operação.

O negócio foi avaliado em 46 bilhões de euros quando anunciado em janeiro. Com a valorização das ações das empresas, o valor foi elevado para 48 bilhões de euros.

Acompanhe tudo sobre:Fusões e AquisiçõesLuxotticaÓculosRay-BanUnião Europeia

Mais de Negócios

Após anúncio de parceria com Aliexpress, Magalu quer trazer mais produtos dos Estados Unidos

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Como um adolescente de 17 anos transformou um empréstimo de US$ 1 mil em uma franquia bilionária

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Mais na Exame