Startup Tul, a 'Amazon dos materiais de construção', inicia operações no Brasil

Depois de receber aporte de 181 milhões de dólares, startup colombiana começa operar no Brasil
Bruno Raposo, gerente responsável pela operação da Tul no Brasil (Gabriel Reis/Divulgação)
Bruno Raposo, gerente responsável pela operação da Tul no Brasil (Gabriel Reis/Divulgação)
I
Isabela RovarotoPublicado em 28/07/2022 às 07:15.

A startup colombiana Tul inicia nesta quinta-feira, 28, suas operações no Brasil. Lançada em março de 2020, a Tul chega ao Brasil após um aporte de 181 milhões de dólares em uma rodada série B liderada pela empresa de capital de risco 8VC, e com participação da Avenir Growth Capital, sediada em Nova York.

Assine a newsletter EMPREENDA, a nova newsletter semanal da EXAME para quem faz acontecer nas empresas brasileiras

Com o objetivo de transformar o setor da construção por meio da tecnologia e inovação, a startup deverá conectar grandes indústrias diretamente a lojistas de todo o Brasil. Atualmente, a startup conta com mais de 90 parceiros no segmento.

"Somos uma empresa de tecnologia que conecta as principais marcas da indústria da construção com o pequeno lojista deste segmento por meio do nosso aplicativo", diz Bruno Raposo, gerente responsável pela operação da Tul no Brasil.

A Tul quer ser a "Amazon para pequenos varejistas de material de construção". Diferente dos tradicionais players do mercado, a startup faz entrega 24 horas direta do lojista ao cliente, sem pedido mínimo, além de ter um catálogo virtual com os principais produtos de diversas categorias da construção.

Com mais de 30 mil lojas cadastradas na Colômbia e México, a empresa inicia suas operações no Brasil na zona leste de São Paulo, com previsão de ampliação para atuação em toda a região metropolitana da cidade.

"Até o final do ano, a expectativa é atender todos os lojistas de materiais de construção da Grande São Paulo. Nosso grande plano para o futuro é ter uma cobertura nacional”, diz Raposo.

A tecnologia utilizada pela Tul também possibilita um acesso mais simples e prático ao estoque e aos serviços e produtos de valor agregado para pequenas lojas de materiais de construção.

"Por meio da digitalização, a Tul quer incentivar o comércio local e fortalecer as comunidades que já atende, oferecendo a possibilidade de abastecimento de forma simples, sem burocracias e melhorando a forma como o pequeno lojista administra seu negócio", explica Raposo.

VEJA TAMBÉM:

FinanZero, de empréstimos online, capta R$ 22 mi e cresce com crédito até a negativados

Economia prateada: 49% dos empreendedores brasileiros têm mais de 50 anos

Salário dos CEOs brasileiros ultrapassou R$ 1,1 bilhão em 2021; veja ranking

Movimentação financeira das PMEs caiu 4,4% em junho, mostra IODE-PMEs