SoftBank e WeWork expandem joint venture na América Latina

Escritórios chegaram ao maior número de membros da história da companhia na região; acordo agora vale também para Costa Rica
WeWork: joint venture na América Latina passa a abranger também a Costa Rica (Exame/Renato Pizzutto)
WeWork: joint venture na América Latina passa a abranger também a Costa Rica (Exame/Renato Pizzutto)
Por Mariana DesidérioPublicado em 24/02/2022 18:00 | Última atualização em 24/02/2022 18:22Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A empresa de aluguel de escritórios WeWork e o SoftBank Latin America Fund estão expandindo sua joint venture na América Latina. O acordo, que dá ao fundo o direito exclusivo de operar a marca WeWork na região, agora vale também para a Costa Rica. Firmada em maio do ano passado, a joint venture já abrangia Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

A expansão do acordo é sinal de que o arranjo tem dado resultado nos demais países. Todos os cinco estão entre os 20 países com maior ocupação nos escritórios WeWork no mundo. Em janeiro, o WeWork chegou à marca de 16 meses seguidos de crescimento na adesão de membros na América Latina. Nos últimos meses, os escritórios chegaram ao maior número de membros da história da companhia na região.  A receita do último trimestre de 2021 cresceu mais de 30% e a expectativa é que o crescimento acelere em 2022.

“A joint venture tem demonstrado um progresso contínuo em otimizar nossas operações e fortalecer nossa presença na região. Adicionar a Costa Rica na equação nos ajudará a melhor atender à crescente demanda por espaços flexíveis na América Latina”, disse Claudia Woods, presidente do WeWork na América Latina, em comunicado.

O WeWork tem um prédio de escritórios na Costa Rica desde 2020. Uma nova unidade será inaugurada em abril de 2022, com 2 mil escritórios — 15 empresas já aguardam a abertura. Com a entrada da Costa Rica, o SoftBank passa a administrar 81 unidades WeWork, com 70 mil membros.

Em entrevista recente ao talkshow do EXAME IN, Claudia Woods contou que a estratégia do WeWork é se tornar cada vez mais uma empresa de tecnologia e gestão. A ideia é que empresa possa vender sua tecnologia de gestão de espaço até mesmo para companhias que não possuem nenhum contrato comercial para espaços físicos com a WeWork.

Fundada em Nova York em 2010, o WeWork nasceu com objetivo de ser uma operação de grandes endereços, com uma cultura de compartilhamento de espaços para escritórios. O fundo japonês SoftBank é sócio da WeWork e fez aportes superiores a US$ 10 bilhões na empresa.