Negócios

Ser Educacional compra Famil, no Nordeste, por R$6 mi

A Ser Educacional comprou, por meio de sua subsidiária Centro Nacional de Ensino Superior, a mantenedora das Faculdade Talles de Mileto


	Universidade: Famil tem cerca de 350 alunos em duas unidades, em Fortaleza (CE) e Parnamirim (RN)
 (Arquivo/Agência Brasil)

Universidade: Famil tem cerca de 350 alunos em duas unidades, em Fortaleza (CE) e Parnamirim (RN) (Arquivo/Agência Brasil)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de junho de 2015 às 22h07.

Rio de Janeiro - A Ser Educacional informou nesta terça-feira a compra por meio de sua subsidiária Centro Nacional de Ensino Superior(Cenesup), da mantenedora das Faculdade Talles de Mileto (Famil) por 6 milhões de reais.

O contrato prevê pagamento de 3,9 milhões até 15 dias após o fechamento da transação.

Haverá outros três pagamentos semestres de 400 mil reais e a última parcela de 900 mil reais, em agosto de 2017.

A Famil tem cerca de 350 alunos em duas unidades, em Fortaleza (CE) e Parnamirim (RN), e conceitos institucionais de 3 e 4, respectivamente, conferidos pelo Ministério da Educação.

A Ser Educacional tem unidades da Faculdade Mauricio de Nassau em Fortaleza e Natal e pretende abrir nessas regiões unidades sob a bandeira Joaquim Nabuco, disse a empresa.

"Com essa operação, o Grupo Ser Educacional amplia seu portfólio para 37 unidades presenciais de ensino superior em 12 diferentes estados no Nordeste, Norte e Sudeste do País em 25 cidades", disse a companhia.

Cerca de 85 por cento dos alunos da Ser estão localizados nas regiões Norte e Nordeste, que serão prioridade na segunda edição do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) em 2015.

Acompanhe tudo sobre:Ensino superiorFaculdades e universidadesMEC – Ministério da EducaçãoSer Educacional

Mais de Negócios

Cacau Show, Chilli Beans e mais: 10 franquias no modelo de contêiner a partir de R$ 30 mil

Sentimentos em dados: como a IA pode ajudar a entender e atender clientes?

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Mais na Exame