Negócios

Rio Tinto corta orçamento para grandes projetos em 2016

Redução de gastos: a Rio Tinto esperar reduzir os custos das operações de alumínio em US$ 300 mi até o fim do ano e em valor semelhante em 2016


	Redução de gastos: a Rio Tinto esperar reduzir os custos das operações de alumínio em US$ 300 mi até o fim do ano e em valor semelhante em 2016
 (Tim Wimborne/Reuters)

Redução de gastos: a Rio Tinto esperar reduzir os custos das operações de alumínio em US$ 300 mi até o fim do ano e em valor semelhante em 2016 (Tim Wimborne/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 8 de dezembro de 2015 às 08h16.

Sydney - A mineradora anglo-australiana Rio Tinto poderá gastar menos do que previa em grandes projetos no próximo ano, num momento em que o setor revisa investimentos diante do forte ajuste de baixa nos preços das commodities.

A Rio Tinto anunciou hoje que prevê seus gastos de capital em torno de US$ 5 bilhões em 2016, ante projeção anterior de menos de US$ 6 bilhões.

"Nossa prudente alocação de capital e abordagem disciplinada em relação ao balanço financeiro reforçaram nossa capacidade de resistência durante esse período de volatilidade atual", comentou o executivo-chefe da Rio Tinto, Sam Walsh, em comunicado.

Ao longo deste ano, os preços de commodities como minério de ferro e cobre, estão em forte trajetória de queda, devido a estoques elevados e ao enfraquecimento da demanda.

A Rio Tinto disse também esperar reduzir os custos das operações de alumínio em US$ 300 milhões até o fim do ano e em valor semelhante em 2016. A empresa também previu que sua produção de bauxita, alumina e alumínio deverá crescer, graças a novos ganhos de produtividade.

Na Bolsa de Londres, as ações da Rio Tinto caíam 4,9% por volta das 8h20 (de Brasília). No mercado australiano, em Sydney, os papéis da mineradora fecharam em baixa de 4,3% hoje.

Acompanhe tudo sobre:Cortes de custo empresariaisEmpresasEmpresas inglesasgestao-de-negociosIndústriaMineraçãoRio TintoSiderurgia e metalurgia

Mais de Negócios

Rivais do salmão: pescados da Amazônia ganham espaço em restaurantes badalados do eixo Rio-SP

"Não foi só chuva. Foi um dilúvio que muda até a geografia do RS", diz Pedro Bartelle, da Vulcabras

Dona da InfinitePay, CloudWalk levanta R$ 1,6 bilhão para expandir oferta de crédito a PMEs

Além da sala de aula: Sestini quer ser referência em viagens e faturar mais de R$ 200 milhões

Mais na Exame