Negócios
Apresentado por Precavida Brasil

Precavida Brasil quer expandir atuação no mercado nacional de precatórios

Empresa especializada em antecipação de precatórios amplia atuação no país e prevê realizar mais de 500 operações, totalizando um valor superior a R$140 milhões em precatórios no ano de 2024

Fabricio Saraiva, Leandro Delmondes, Renato Bartolomeu e Ricardo Godoy, da Precavida. (PRECAVIDA/Divulgação)

Fabricio Saraiva, Leandro Delmondes, Renato Bartolomeu e Ricardo Godoy, da Precavida. (PRECAVIDA/Divulgação)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 24 de abril de 2024 às 16h00.

Última atualização em 25 de abril de 2024 às 16h14.

A Precavida Brasil, empresa especializada na negociação de precatórios, possui 4 anos de mercado e já deixou a vida de startup para trás. Atualmente, concorre com grandes players do mercado e é uma das poucas empresas que atuam em todos os estados do país.

Em 2019, ano de sua fundação, a Precavida Brasil atuava como prestadora de serviço e os sócios utilizavam capital próprio, de familiares e amigos, para bancar os pagamentos antecipados de precatórios (requisição de pagamento de uma quantia certa feita ao ente público, após condenação judicial definitiva de municípios, estados e União).

Hoje, a empresa atua por meio de 2 FIDCs (Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios) com investidores majoritariamente institucionais. A procura é tão grande, que a empresa fechou os fundos para novos cotistas no fim de 2023 e pretende reabrir somente em julho de 2024.

Desde sua fundação, a Precavida Brasil já realizou cerca de 750 operações, com um volume superior a 150 milhões de reais em precatórios adquiridos.

“Só em 2023 foram realizadas 360 operações, um crescimento de 135% comparado a 2022. Foram quase 75 milhões de reais adquiridos em precatórios”, conta Ricardo Godoy, sócio-diretor da Precavida Brasil.

Este ano a expectativa é realizar mais de 500 operações, com um montante superior a 140 milhões de reais em precatórios adquiridos, ou seja, quase o mesmo volume da soma dos anos anteriores. Outra meta é expandir a operação e atender cada vez mais municípios e estados pelo Brasil.

Receita de sucesso

Segundo Godoy, o cálculo dos valores a serem pagos nas antecipações é praticamente padronizado no mercado. Os percentuais variam de acordo com o prazo de recebimento do precatório. A Precavida Brasil, aposta, então, em três diferenciais para conquistar a confiança dos credores: agilidade no pagamento, transparência e atendimento personalizado.

“Nossos concorrentes levam, em média 20 dias para cada processo, enquanto concluímos em apenas 4. Como os credores querem agilidade no recebimento, muitos vêm de outras empresas para fechar com a gente”, afirma o sócio-diretor da Precavida Brasil. “Além de menos burocracia, pagamos percentuais muito competitivos.”

Todo o processo é realizado de forma on-line, o que permite à empresa atuar em todo o país, sem necessidade de deslocamento da equipe. A assinatura do contrato, por exemplo, é feita por meio de videoconferência com o cartório. E o pagamento é feito em até 24 horas após a assinatura.

Além da equipe que atua na sede da empresa em Belo Horizonte (MG), a Precavida Brasil conta com mais de 50 parceiros em todo o país, que atuam como consultores dos credores.

“Para cada credor, explicamos porque ele receberá aquele valor, pois ele depende do prazo programado para o pagamento do precatório pelo governo”, conta o executivo. “E cada instância paga em prazos diferentes, é preciso acompanhar o mercado”.

Vantagens

Godoy aponta que, ao receber o valor antecipado do precatório, o credor mitiga riscos, já que os processos podem sofrer atrasos, resultados de mudanças na política.

Além disso, o executivo acredita que há um impacto positivo na economia com as antecipações. Quando os credores vendem seus precatórios, mais de 90% desse valor vai direto para o consumo, movimentando a economia.

“Os credores utilizam o dinheiro para reformar a casa, comprar imóvel para filhos, custear a educação de filhos e netos, pagamento de dívidas, gastos com saúde e até para viagens pelo mundo”, lista o sócio-diretor. “Mas há também empresários que utilizam o dinheiro para investir no próprio negócio”.

Acompanhe tudo sobre:branded-content

Mais de Negócios

40 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Mais na Exame