A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Portugal não consegue vender Novo Banco

As ofertas pelo Novo Banco, que surgiu da parte boa que sobrou do Banco Espírito Santo, foram muito baixas, segundo o banco central de Portugal

Lisboa - As ofertas pelo Novo Banco, que surgiu da parte boa que sobrou do Banco Espírito Santo (BES) após um resgate de 4,9 bilhões de euros em 2014, foram muito baixas devido a incertezas relativas as exigências de capital, disse o banco central português nesta terça-feira.

O Banco de Portugal disse em comunicado que as negociações com potenciais compradores foram encerradas e que irá relançar o processo de venda do Novo Banco quando novas exigências de capital estabelecidas pelo Banco Central Europeu forem conhecidas nos próximos meses.

"A intenção é continuar o processo de venda após os principais fatores de incerteza forem removidos, e, mais precisamente, após serem conhecidos os níveis de exigência de capital do BCE para a união bancária", disse o banco central português.

O Banco de Portugal não chegou a um acordo com o chinês Fosun International e o fundo norte-americano Apollo durante as conversações na semana passada. No início deste mês, negociações com o também chinês Anbang já haviam fracassado.

A quebra do BES em agosto 2014 sob o peso de dívidas da família fundadora foi o maior colapso financeiro da história de Portugal.

O Novo Banco é o "banco bom" criado a partir BES.

Uma fonte próxima ao processo de venda do Novo Banco disse que os bancos insistiram em adiar a venda, porque eles não querem pagar a conta por qualquer diferença entre os lances e o pacote de resgate.

Pelos termos do resgate, o Novo Banco deve ser vendido em até dois anos, mas o prazo pode ser prorrogado por períodos de um ano se for considerado de interesse público.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também