Negócios

OGX e Vinci Partners negam acordo de venda de controle

Em notas separadas, as empresas afirmam que não há negociação para a Vinci assumir o controle da OGX


	Eike Batista, dono da OGX: sua petrolífera segue sem acordo
 (Douglas Engle/Bloomberg News)

Eike Batista, dono da OGX: sua petrolífera segue sem acordo (Douglas Engle/Bloomberg News)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de outubro de 2013 às 14h06.

São Paulo – A OGX e a gestora de recursos Vinci Partners negaram qualquer negociação envolvendo o controle da petrolífera. Em uma brevíssima nota oficial à imprensa, a Vinci afirma que “nega cabalmente as informações veiculadas hoje pela mídia de que poderia se associar ou mesmo realizar operação ou investimento de qualquer natureza na OGX.”

Também por e-mail, a assessoria de imprensa da OGX informou que “a informação sobre a Vinci não procede”.

Na manhã desta quarta-feira, o site Infomoney afirmou que a Vinci deve assumir o controle da problemática petrolífera fundada por Eike Batista. Segundo o site, o acordo preveria a injeção de 220 milhões de dólares na companhia, suficientes para concluir a implantação do campo de Tubarão Martelo.

Perdão

O acordo também determinaria o perdão de 55% da dívida da OGX, que cairia para cerca de 1,6 bilhão de dólares. Os principais credores da companhia teriam concordado com o plano ontem.

A notícia circulou em meio ao momento mais crítico da força-tarefa que tenta salvar a OGX da recuperação judicial. Representantes da companhia passaram os últimos dias negociando com credores uma saída.

O resultado prático das negociações, até o momento, seria a troca do presidente da OGX. Na noite de ontem, a companhia comunicou que seu comando passa para Paulo Narcélio Simões Amaral. Já Luiz Eduardo Carneiro, que ocupava o posto, deixou a companhia.

Acompanhe tudo sobre:Eike BatistaEmpresáriosEmpresasEnergiaGás e combustíveisIndústria do petróleoMMXOGpar (ex-OGX)OSXPersonalidadesPetróleovinci-partners

Mais de Negócios

Com nova fábrica, Gelato Borelli vai triplicar produção e planeja faturar R$ 360 milhões em 2024

A aposta de R$ 500 milhões de uma varejista gaúcha para fazer o maior complexo logístico do RS

'Jurassic Park' brasileiro anuncia novos parques depois de crescer 893% em 2023

Das dívidas aos bilhões: como a Marvel fugiu do colapso com uma estratégia financeira que mudou tudo

Mais na Exame