Acompanhe:
seloNegócios

McDonald’s muda o comando para recuperar vendas

Em março, Steve Easterbrook irá assumir a rede americana de fast food, que em 2014 viu vendas e lucros caírem pela primeira vez em 12 anos

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Em março, Steve Easterbrook irá assumir a rede americana de fast food, que em 2014 viu vendas e lucros caírem
 (Mike Blake/Reuters)

Em março, Steve Easterbrook irá assumir a rede americana de fast food, que em 2014 viu vendas e lucros caírem (Mike Blake/Reuters)

K
Karin Salomão

Publicado em 30 de janeiro de 2015 às, 12h54.

São Paulo - McDonald’s nomeou um novo presidente e diretor executivo, dias depois de ter anunciado a aposentadoria de Don Thompson, que trabalhou na rede por 25 anos. 

A partir do dia 1º de março, Steve Easterbrook, um britânico, irá assumir a rede americana de fast food, que em 2014 viu suas vendas e lucros caírem pela primeira vez em 12 anos.

Ao deixar seu posto, Thompson afirmou: “é duro dizer adeus à McFamília, mas há tempo e estação para cada coisa. Estou verdadeiramente confiante ao passar o reino para Steve, que continuará a impulsionar nosso negócio e marca”.

Com apenas 47 anos, Easterbrook conseguiu retomar o crescimento das vendas do McDonald’s no Reino Unido em 2006, tendo sido nomeado, após isso, presidente da empresa na Europa.

Ele saiu da rede do Big Mac para se tornar diretor executivo na Pizza Express, em 2011. Mudou para a rede japonesa Wagamama e, dois anos depois de ter saído, retornou ao Mc Donald’s.

“Estou honrado por liderar essa grande marca e estou comprometido em trabalhar com nossos franqueados, fornecedores e funcionários para impulsionar nossas prioridades estratégicas, para servir melhor nossos consumidores”, disse ele.

O conselho da empresa acredita que Easterbrook pode “liderar efetivamente a companhia para melhorar a performance financeira e operacional”. Franqueados pedem que ele priorize rapidez e eficiência.

A rede, que serve 70 milhões de pessoas todos os dias, vem perdendo consumidores para outros restaurantes de fast food, como o Chipotle, nos Estados Unidos.

Em 2014, as vendas de lojas abertas a mais de um ano caíram pela primeira vez em 12 anos. As receitas caíram 7% e o lucro declinou 15%, para US$ 4,7 bilhões. Só no ultimo trimestre, o lucro despencou 21%.

Para solucionar essa queda, a rede anunciou mudanças no seu menu – para torná-lo menor e mais eficiente – e tem planos de oferecer a possiblidade de pedir um Big Mac pelo smartphone. Além disso, testa sistema em que o cliente monta o próprio sanduíche.

No primeiro semestre de 2015, a rede espera vendas fracas e planeja abrir menos restaurantes. A rede iniciou o ano pedindo desculpas por um dente achado em lanche no Japão e falta de batatas fritas em vários países.

Últimas Notícias

Ver mais
Concurso elege pizzaria de São Paulo a melhor da América Latina; conheça
Casual

Concurso elege pizzaria de São Paulo a melhor da América Latina; conheça

Há 4 horas

Biomm vai trazer similar do Ozempic ao Brasil; ação dispara 38%
Exame IN

Biomm vai trazer similar do Ozempic ao Brasil; ação dispara 38%

Há 18 horas

Como a Livelo alcançou lucro líquido de mais de R$ 1 bilhão em 2023 
Um conteúdo Bússola

Como a Livelo alcançou lucro líquido de mais de R$ 1 bilhão em 2023 

Há 22 horas

5 Impactos da Inteligência Artificial nas estruturas organizacionais
seloCarreira

5 Impactos da Inteligência Artificial nas estruturas organizacionais

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais