Negócios

Magazine Luiza firma parceria para venda de celulares na Marisa

Varejista será responsável pela estratégia comercial, disponibilidade de produtos, financiamento, logística, contratação e gestão dos colaboradores

Magazine Luiza: varejista firmou acordo com a Lojas Marisa para um projeto de "store in store" (Paulo Whitaker/Reuters)

Magazine Luiza: varejista firmou acordo com a Lojas Marisa para um projeto de "store in store" (Paulo Whitaker/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 21 de novembro de 2019 às 09h30.

São Paulo — O Magazine Luiza e a Marisa Lojas firmaram Memorando de Entendimentos para um projeto de 'store in store', por meio do qual o Magazine Luiza será responsável pela categoria de tecnologia em mais de 300 lojas da Marisa, conforme comunicados de ambas as varejistas nesta quinta-feira.

"Um dos objetivos do Magalu será fomentar as vendas de produtos como smartphones e acessórios; serviços digitais, como Magalu Conecta, Maga Mais e cartões de conteúdo; além de seguros como garantia estendida e proteção contra roubo e furto ou quebra acidental", disse o Magazine Luiza.

Já a Lojas Marisa afirmou que, nesse modelo de negócios, um dos objetivos da empresa será de melhorar o mix de produtos, assim como alavancar o fluxo de clientes em loja.

O Magazine Luiza será responsável pela estratégia comercial, disponibilidade de produtos, faturamento, financiamento, logística, contratação e gestão dos colaboradores.

Também a opção 'Retira Loja', modalidade que possibilita a retirada de produtos comprados no e-commerce diretamente nas lojas físicas do Magazine Luiza, estará disponível nas lojas da Marisa, incluindo regiões como Rio de Janeiro e Brasília, onde o Magazine Luiza ainda não tem presença física.

Acompanhe tudo sobre:CelularesMagazine LuizaMarisa

Mais de Negócios

Justiça aceita pedido de recuperação judicial da Polishop

Fernando Goldsztein: Toda a ajuda é pouca para os atingidos pelas enchentes do RS

Rodízio caro: rede de restaurantes Red Lobster pede recuperação judicial com dívida de US$ 1 bilhão

A startup que pretende usar um fundo de R$ 150 milhões para salvar negócios no Rio Grande do Sul

Mais na Exame